Você já ouviu falar em reumatismo?

By | 21 de outubro de 2020

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Dia Nacional da Luta Contra o Reumatismo (30 de Outubro)

Quando falamos sobre reumatismo, possivelmente surge em sua mente a imagem de uma pessoa de idade avançada e com dores nas articulações, não é mesmo? Apesar de o reumatismo realmente apresentar maior prevalência em idosos e boa parte deles apresentarem queixas reumáticas relacionadas às articulações, esse grupo de doenças é muito mais ampla do que você pensa. Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir o texto abaixo!

reumatismo_1

O QUE É REUMATISMO?

O termo “reumatismo” faz referência ao grupo das chamadas doenças reumáticas. Fazem parte dele mais de 100 tipos de doenças diferentes e que apresentam os mais diversos sintomas. Em geral, são conhecidas principalmente pelo acometimento do aparelho locomotor (ossos, articulações, cartilagens, músculos, tendões e ligamentos), mas também existem outras áreas do nosso corpo que podem ser afetadas, como o sistema respiratório, cardiovascular, gastrointestinal, pele, entre outros.

SERÁ QUE EU TENHO REUMATISMO?

Em geral, um paciente que possui uma doença reumática costuma queixar-se de uma dor articular e/ou muscular persistente, vermelhidão, inchaço, dificuldade em realizar alguns movimentos, rigidez, fraqueza, mas também pode apresentar outros sintomas menos comuns. Pode iniciar com um comprometimento dos órgãos internos e posteriormente comprometer as articulações, como no caso do lúpus eritematoso sistêmico e da febre reumática. Contudo, a dor é geralmente crônica e tende a comprometer progressivamente a qualidade de vida de quem possui a doença.

Muito embora as doenças reumáticas apresentem maior prevalência em idosos, vale lembrar que elas também podem acometer crianças, adolescentes e adultos. Dessa maneira, a melhor forma de confirmar se você possui reumatismo é sempre por meio de uma consulta médica especializada e, somente após avaliação de exames laboratoriais e de imagem, receber o seu diagnóstico.

CONHEÇA ALGUMAS DAS PRINCIPAIS DOENÇAS REUMÁTICAS

Como citado anteriormente, existem mais de 100 tipos de doenças reumáticas e vamos, aqui, citar brevemente algumas das mais conhecidas. Você já ouviu falar de quantas delas?

  • Arterite de Takayasu: um tipo de vasculite (doença em que ocorre inflamação de vasos sanguíneos) de causa desconhecida e que afeta de forma crônica a maior artéria do corpo humano, a aorta, e seus ramos primários;
  • Artrite idiopática juvenil: doença inflamatória crônica que acomete articulações e outros órgãos, como a pele, os olhos e o coração;
  • Artrite psoriásica: uma forma de artrite que pode afetar as pessoas que possuem psoríase;
  • Artrite reumatoide: doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações e com causa ainda desconhecida;
  • Doença de Behçet: doença que provoca aftas recorrentes, associadas ou não a úlceras genitais, lesões de pele, dores articulares, inflamação no olho, alterações neurológicas, inflamação e trombose em veias, entre outros sintomas;
  • Esclerodermia: doença do sistema imunológico que provoca o endurecimento da pele, a qual se torna espessa, lisa e sem elasticidade;
  • Espondiloartrites: grupo de doenças como: espondilite anquilosante, espondiloartropatias indiferenciadas, artrite reativa, artrite psoriásica, entre outras.
  • Febre reumática: doença inflamatória que pode acometer as articulações, o coracão, o cérebro e a pele de crianças, geralmente entre 5 a 15 anos;
  • Fibromialgia: síndrome caracterizada por dor muscular generalizada crônica, dor à palpação da musculatura, alterações do sono, cansaço e problemas com o humor, a concentração e a memória;
  • Gota: doença inflamatória que acomete sobretudo as articulações e ocorre quando a taxa de ácido úrico no sangue está em níveis acima do normal;
  • LER (Lesões por Esforços Repetitivos) / DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho);
  • Lúpus Eritematoso Sistêmico: doença inflamatória crônica de origem autoimune, cujos sintomas podem surgir em diversos órgãos de forma lenta e progressiva ou mais rapidamente;
  • Osteoartrite (Artrose): doença que se caracteriza pelo desgaste da cartilagem articular e por alterações ósseas, entre elas os osteófitos (“bicos de papagaio”);
  • Polimialgia reumática e arterite de células gigantes: doença que acomete pessoas acima de 50 anos, causando rigidez e dor no pescoço, ombros e quadris;
  • Reumatismo de partes moles: lesão ou inflamação das estruturas que estão em volta das articulações, resultando em bursites, tendinites, entesites e dor miofascial;
  • Síndrome anti-fosfolípide: distúrbio auto-imune na coagulação do sangue que causa trombose em artérias e veias, além de complicações na gravidez;
  • Síndrome de Sjögren: doença auto-imune que se caracteriza pela secura principalmente ocular e da boca;
  • Vasculites: grupo de doenças caracterizadas pela inflamação de vasos sanguíneos, em que sua parede é invadida por células do sistema imunológico.

Informações do site da Sociedade Brasileira de Reumatologia

reabilitação_1

COMO É O TRATAMENTO DAS DOENÇAS REUMÁTICAS?

Quando o assunto é o tratamento das doenças reumáticas, em boa parte dos casos temos os seguintes pilares do tratamento: controle da atividade da doença e melhora da qualidade de vida. A conduta terapêutica das doenças reumáticas geralmente consiste no controle do processo inflamatório, por meio do uso de medicamentos anti-inflamatórios, corticosteroides e imunossupressores. Contudo, outros fármacos também podem ser utilizados, dependendo da doença e da resposta terapêutica de cada paciente.

Como a maioria das doenças reumáticas demandam um tratamento de longa duração, é muito comum que haja o comprometimento da saúde mental desses pacientes. Assim, geralmente desenvolvem algum transtorno relacionado ao humor, como a ansiedade e a depressão.

Além do tratamento farmacológico, outras medidas devem ser utilizadas durante o controle da doença, como a fisioterapia, a acupuntura e o acompanhamento por um psicólogo. Assim, a intervenção multidisciplinar torna-se imprescindível para a obtenção do sucesso no tratamento de muitas das condições reumáticas.

ACESSO AO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)

A Unidade Básica de Saúde (UBS) é a principal porta de entrada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Estima-se que cerca de 80% das demandas de saúde da população sejam resolvidos no atendimento primário, sem que haja necessidade de encaminhamento a outros serviços, como especialistas, emergências e hospitais. Na atenção primária são oferecidos ao público os seguintes serviços de saúde: fazer curativos, fazer inalações, tomar vacinas, coletar exames laboratoriais, tratamento odontológico, receber medicação básica e encaminhamentos aos atendimentos especializados.

Quando o assunto é a reumatismo,  devemos procurar ajuda inicialmente na UBS! Ao perceber que a dor nas articulações, associados a sintomas como vermelhidão, calor, inchaço e limitação do movimento, não se resolvem por meio de medidas simples e geralmente por mais de seis meses, busque atendimento na atenção primária. Muito embora o diagnóstico seja esclarecido por um serviço especializado, em boa parte das vezes, pelo médico reumatologista, devemos lembrar que existem outras doenças musculares e articulares que podem ser resolvidas sem a necessidade do especialista. Sendo assim, cabe ao médico da atenção primária avaliar a necessidade de encaminhamento ao serviço especializado para o diagnóstico, tratamento e acompanhamento adequados.

Vale lembrar que o tratamento das doenças reumáticas é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), disponibilizando o atendimento inicial e especializado, fornecendo as medicações necessárias ao tratamento e controle da doença, bem como a realização de práticas complementares como a acupuntura, atendimento psicológico e psiquiátrico, dependendo da indicação de cada paciente.

Referências:

Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), São Paulo (SP), Brasil.

Colégio Americano de Reumatologia (American College of Rheumatology)

 

Deixe uma resposta