Verão: cuidados com a alimentação

By | 21 de dezembro de 2020

Com a chegada do verão e o seu marcante aumento na temperatura média diária, devemos ficar atentos aos riscos à saúde característicos desta estação, principalmente quanto à hidratação e a alimentação. A desidratação e o risco de intoxicação alimentar tornam-se mais comuns nessa estação e, por isso, alguns cuidados devem ser reforçados para que você possa aproveitar o verão de forma saudável e segura.

Alimentação no verão


MUITA ATENÇÃO PARA O RISCO DE DESIDRATAÇÃO

Não é novidade para muitos a informação de que a água é o principal componente  do corpo humano (cerca de 70% e variando com a idade), mas você sabia que uma pequena variação desse percentual pode resultar em graves distúrbios em nosso organismo? Pois bem, a água é abundante em nosso corpo, mas a eliminamos diariamente por diversas formas (respiração, suor, urina, fezes, lágrimas, entre outras formas) e por isso sua reposição deve ser frequente para evitar esses problemas.

Com a chegada das altas temperaturas e com o maior tempo de exposição ao sol, a perda de água pelo nosso organismo torna-se mais intensa, exigindo de nós um maior cuidado quanto a sua adequada reposição. De forma geral, recomenda-se a ingestão de, pelo menos, dois litros de água diariamente, mas esse valor pode variar dependendo da rotina de cada pessoa. Temperatura, exposição solar e atividade física são os fatores mais comuns que aumentam o volume de água necessária a ser reposta no organismo.

Vale lembrar que a reposição hídrica indicada pode ser feita de várias formas, e não necessariamente deve ser feita com a ingestão apenas de água. Além da água, você também repor essa demanda ingerindo sucos, chás gelados, água de coco, bebidas isotônicas, frutas com alto teor de água (melancia, melão, abacaxi, laranja, uva, morango, goiaba, pêra, entre outros) e demais alimentos como pepino, rabanete, tomate etc.

Feria de rua

Na desidratação leve a moderada, alguns dos principais sinais e sintomas são: sede exagerada, boca e pele seca, diminuição da sudorese, urina concentrada, dor de cabeça, sonolência, tonturas, fraqueza, cansaço e coração acelerado.

Nos casos graves de desidratação, os sintomas da forma leve a moderada se intensificam e outros sintomas mais graves podem surgir, como: queda de pressão arterial, alteração da consciência, convulsões, coma, falência de órgãos e morte.

Além da reposição hídrica, alguns cuidados também podem ser feitos para se evitar os efeitos do calor, como: 

  • Use roupas leves, que permitam a livre transpiração;
  • Evite a exposição solar direta e quando o fizer, utilize um filtro solar com fator de proteção solar 30 ou superior. Não se esqueça do protetor labial e dos óculos de sol.
  • Evite os horários entre 10 e 16 horas;

Clique aqui e saiba mais: Dezembro laranja: o que é e como prevenir o câncer de pele?


ALGUNS CUIDADOS PARA AS REFEIÇÕES

Além do conhecimento sobre quais são os alimentos que nos auxiliam na reposição hídrica corpórea, devemos também ter alguns cuidados quanto à segurança no momento do seu consumo. As altas temperaturas também são responsáveis por interferir na qualidade do alimento e, portanto, sua preparação, armazenamento e consumo devem receber atenção redobrada nos dias quentes. Por isso, sempre que for consumir um alimento, siga as recomendações sanitárias para se assegurar de que não vai ser surpreendido por uma infecção ou intoxicação alimentar.

O conhecimento sobre a preparação do alimento, bem como a forma que são servidos para o consumo podem trazer riscos à saúde. De maneira semelhante, o autocuidado durante as refeições também são essenciais: a falta de higienização das mãos antes e após as refeições podem colocar em risco qualquer preparação eficiente prévia.

Quer saber mais sobre a intoxicação alimentar? Acesse aqui!

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Referência:

Mayo Clinic. Dehydration. Acesso em 21 de dezembro de 2020.

Deixe uma resposta