20 de Março: Dia Mundial da Saúde Bucal

By | 20 de março de 2021

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Muito mais que apenas o fator estético relacionado ao sorriso, a saúde bucal é composta por diversos fatores, como a capacidade de falar, mastigar, engolir, sorrir, cheirar, saborear, tocar e transmitir uma série de emoções por meio de expressões faciais. Dar a devida importância à saúde bucal é uma tarefa diária e que previne uma série de doenças, que vão muito além da cavidade oral.

HIGIENE BUCAL

Uma boa higiene bucal, além de prevenir as doenças da própria cavidade oral, também evita outras condições como a endocardite bacteriana (bactérias presentes no bolo alimentar podem cair na circulação e atingir o coração), parto prematuro e agravamento da diabetes.

Antes de iniciar a escovação, utilize o fio dental.

Portanto, uma escovação eficaz consiste nos passos abaixo:

  1. Colocar o creme dental fluoretado (com flúor) sobre as cerdas da escova;
  2. Escovar os dentes com movimentos circulares suaves e curtos, com cuidado especial para não aplicar muita força na região próxima à gengiva;
  3. Escovar as superfícies externas superiores e, depois, os inferiores;
  4. Escovar as superfícies internas superiores e, depois, os inferiores;
  5. Higienizar a língua, com um raspador próprio ao uso, retirando a camada esbranquiçada;

Quando devo trocar a escova dental?

De maneira geral, recomenda-se trocar a escova de dentes a cada três meses ou

então quando você perceber que ela está desgastada. A utilização de escovas desgastadas, além de comprometer a limpeza dos dentes também pode danificar a região periodontal,

levando a lesões bucais, aftas, entre outras.

 

Confira aqui alguns dos principais problemas bucais:

  • Cárie: destruição dos dentes causado por ácidos produzidos por bactérias presentes na boca;
  • Gengivite: inflamação da gengiva, que pode resultar em vermelhidão, inchaço e sangramento;
  • Lesões bucais e aftas: inchaços, manchas ou feridas na cavidade oral, que podem ser provocadas por herpes labial, candidíase (“sapinho”) e próteses mal ajustadas;
  • Mau hálito: odor fétido exalado, decorrente de má higiene bucal e/ou outras causas;
  • Placa bacteriana: conjunto de bactérias que colonizam a cavidade bucal;
  • Tártaro: endurecimento da placa bacteriana na superfície dos dentes.

O mau hálito, ou halitose, pode ter várias causas, como: higienização bucal inadequada, gengivite, ingestão de alimentos específicos (alho, cebola), tabagismo, alcoolismo, boca seca, saburra lingual (placa bacteriana esbranquiçada na língua), entre outros.


DENTIÇÃO E HIGIENE BUCAL

19-03-blog

Apesar da higiene bucal fazer parte dos nossos hábitos diários e de sua ampla divulgação como medida favorável à saúde, ainda restam algumas dúvidas que valem a pena serem abordadas. Como exemplo, provavelmente você já deve ter se perguntado quando essa atividade se inicia e como ela deve ser feita no decorrer dos anos, não é mesmo?

Os primeiros dentes começam a aparecer por volta dos seis meses de vida e por volta dos três anos de vida a criança já possui cerca de 20 dentes de leite. Os dentes de leite começam a ser substituídos assim que os definitivos estão prontos para nascer, processo que ocorre por volta dos 5 anos de vida e só termina na fase da adolescência.

O que muitos não sabem é que mesmo antes do surgimento dos dentes de leite a higienização bucal já deve ser feita rotineiramente. Enquanto os dentes ainda não estão presentes, deve-se passar um pano úmido após a ingestão de leite materno, eliminando excessos e possíveis secreções. Assim, tal procedimento deve ser feito sempre após a amamentação.

Com o surgimento dos dentes, deve-se fazer a higienização com escova pequena, adequada à idade e tamanho da cavidade oral, sempre com cerdas macias e pelo menos duas vezes ao dia (ao acordar e antes de dormir) e sempre após as refeições. Com o passar do tempo, geralmente a partir dos 2 anos, os pais ou responsáveis pela criança devem estimular a escovação, diariamente e sempre devem supervisionar o processo. Ensinar a criança a não engolir a pasta de dente com flúor, ensinar os movimentos circulares e curtos e ensinar a importância da escovação são essenciais no processo.


CÂNCER DE BOCA

O câncer de boca é tecnicamente definido como um tumor maligno que pode acometer principalmente as regiões dos lábios, gengivas, língua, céu da boca e até mesmo a região da garganta.

Existem vários tipos de câncer de boca, sendo divididos por tipos celulares acometidos pelo tumor. O tipo mais comum é o carcinoma de células escamosas; tumor que compromete as células escamosas da nossa pele, sendo responsável por até 90% dos casos de câncer de boca. Outros exemplos são os teratomas (tumor de células embrionárias), adenocarcinomas (tumor de tecidos glandulares), melanoma (tumor de células produtoras de melanina) e sarcomas (tumor de partes moles, como músculos, gordura, cartilagens tendões e nervos).

O câncer de boca é frequentemente antecedido pelas lesões denominadas pré-malignas, sendo as leucoplasias (manchas ou lesões espessas brancas) e as eritroplasias (manchas ou lesões espessas avermelhadas) as mais comuns. Tanto a leucoplasia quanto a eritroplasia são lesões consideradas benignas (crescimento anormal, sem chance de invadir outros tipos de tecidos e órgãos). Estudos indicam uma chance de 5% das leucoplasias evoluírem para a condição maligna. Por outro lado, a eritroplasia apresenta uma chance de 51% de apresentar alterações malignas.

A maioria dos pacientes são homens com idade superior a 50 anos e com história de tabagismo e etilismo (consumo de álcool), que relatam uma ferida oral (caroço, inchaço, áreas de dormência, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas, úlceras) com surgimento há algumas semanas, mas que não se cicatrizam, ocasionalmente podem sangrar e frequentemente possuem mau hálito. Podem também apresentar dificuldade para falar ou engolir, caso a lesão seja na garganta.

Leia aqui: Câncer de boca: saiba o que é e como se prevenir!


SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

A Unidade Básica de Saúde (UBS) é a principal porta de entrada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Estima-se que cerca de 80% das demandas de saúde da população sejam resolvidos no atendimento primário, sem que haja necessidade de encaminhamento a outros serviços, como especialistas, emergências e hospitais. Na atenção primária são oferecidos ao público os seguintes serviços de saúde: fazer curativos, fazer inalações, tomar vacinas, coletar exames laboratoriais, tratamento odontológico, receber medicação básica e encaminhamentos aos atendimentos especializados.

Muito provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre a disponibilidade dos cuidados com a saúde bucal no Sistema Único de Saúde, mas você sabe quais são eles? Entre os serviços que você pode receber gratuitamente pelo SUS estão: limpezas, extrações, implantes dentários, restaurações, aplicações de flúor, retirada dos sisos, tratamento de cáries, aparelho dental, biópsias, cirurgias e exames bucais para detecção de câncer bucal, infecções e outras doenças.comorbidades que podem se confundir com a pneumonia e cabe ao médico decidir a melhor conduta individualizada ao paciente. Tanto o diagnóstico quanto o tratamento devem ser muito bem direcionados e a automedicação é contraindicada.

Deixe uma resposta