Acidentes com queimaduras: o que fazer?

By | 6 de junho de 2021

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Queimadura

Quando falamos sobre queimaduras, rapidamente nos vem à mente um acidente relacionado ao fogo, superfícies ou líquidos quentes, não é mesmo? É comum haver o relato de tal experiência dolorosa e, muitas vezes, por mais de uma vez na vida nos mais variados acidentes. Sendo assim, pela elevada frequência e importância no cenário nacional, o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras tem como proposta informar sobre esse assunto tão recorrente e prevenível. Por isso, separamos aqui um breve texto para que você fique atualizado sobre esse tema tão importante!


A PELE E AS QUEIMADURAS

Além da cor, textura e marcas que contribuem para a identificação de cada pessoa, a pele também funciona como uma barreira que reveste todo o nosso corpo, protegendo contra substâncias perigosas ao corpo e também fornece proteção contra efeitos nocivos da radiação ultravioleta emitida pelo sol. O cuidado com a pele promove benefícios que vão muito além do aspecto estético, cuidar da pele é, também, garantir a manutenção dessa proteção tão fundamental à saúde.

Ao romper a barreira cutânea (da pele), além de promover a dor e a alteração estética características da lesão, as queimaduras também podem trazer diversas consequências. O dano à pele, além de expor o nosso organismo às infecções (locais e sistêmicas), também pode levar a uma série de complicações a depender do tipo, grau e local acometido. Para se ter uma ideia, considera-se que um paciente vítima de queimadura pode vir a experimentar uma condição semelhante a uma imunossupressão e a uma condição de aceleração do metabolismo, na tentativa de controlar os danos, muitas vezes irreparáveis.

Por isso, a prevenção das ocorrências de acidentes sempre será o melhor caminho a ser tomado. O cuidado ao manipular o fogo, superfícies ou líquidos quentes, fontes de eletricidade e substâncias químicas, tanto por parte das crianças como também dos adultos é tarefa fundamental para se evitar tais acidentes com queimadura.


TIPOS DE QUEIMADURAS

A queimadura é definida como uma lesão dos tecidos orgânicos decorrente de um trauma térmico, elétrico, químico ou radioativo. Abaixo, uma descrição das principais:

  • Queimaduras térmicas: são provocadas por fontes de calor como fogo, líquidos ferventes, vapores, objetos quentes e excesso de exposição ao sol. Classicamente, são as queimaduras mais frequentes.
  • Queimaduras elétricas: são provocadas por descargas elétricas e classicamente acometem tecidos mais profundos, quando comparados às queimaduras térmicas. 

As lesões das queimaduras elétricas podem enganar em uma avaliação rápida e/ou não especializada. Nesses casos, a pele pode indicar apenas uma pequena parte do real problema. 

Queimaduras elétricas de baixa voltagem, como aquelas presentes em aparelhos domésticos (110V e 220V), costumam causar lesões mais superficiais. Já as queimaduras de alta voltagem (maior que 1.000 volts), estão associadas a uma destruição “invisível”, pois tendem a comprometer os tecidos mais profundos.

  • Queimaduras químicas: a gravidade da queimadura química depende do tipo (ex.: ácido, alcalino) e concentração de cada substância, bem como o tempo de contato com a pele. Ao contrário das queimaduras térmicas, apresenta dano progressivo e contínuo à pele e tecidos abaixo dela. Boa parte dos acidentes estão relacionados aos acidentes industriais, mas ocasionalmente também relacionam-se a acidentes domésticos.

CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS

As queimaduras de primeiro grau são aquelas que atingem somente a camada mais superficial da pele (epiderme). O exemplo clássico é a queimadura após uma exposição ao sol em excesso, no qual a pele apresenta uma vermelhidão, leve inchaço e com uma dor local suportável. Nas lesões de primeiro grau não se observam bolhas.

As queimaduras de segundo grau atravessam a camada superficial da pele, comprometendo o tecido abaixo da camada superficial (a derme) e apresentam como lesão clássica a formação das bolhas na pele, acompanhada de dor moderada a intensa. Quando superficial, além das bolhas, observa-se um aspecto rosado e úmido da pele. No caso de queimadura de segundo grau profunda, nota-se uma coloração rósea pálido e com aspecto mais seco da pele.

Já nas queimaduras de terceiro grau ocorre um comprometimento total da pele (epiderme e derme) e a pele adquire uma coloração branca e de consistência endurecida. O destaque aqui é a ausência de dor, visto que as terminações nervosas do local também foram danificadas. A dor relatada nesse caso ocorre pela referência à região ao lado da lesão, geralmente apresentando queimaduras extensas de primeiro e/ou segundo graus.

Algumas classificações incluem a queimadura de quarto grau, no qual a lesão se estende além da pele, alcançando os músculos e até mesmo os ossos. Geralmente, estão mais relacionadas às queimaduras elétricas de alta voltagem.


PRIMEIROS SOCORROS

Antes de fornecer os primeiros socorros à vítima de queimadura você deve identificar o tipo de acidente ocorrido e somente em seguida fornecer a ajuda necessária. Abaixo, observe os cuidados iniciais para cada uma delas:

QUEIMADURAS TÉRMICAS

  • Interrompa o processo de queimadura com água corrente ou uma coberta;
  • Coloque a região danificada em água corrente, em jato suave por 10 (dez) minutos;
  • Não toque a queimadura com as mãos;
  • Não fure as bolhas (se houver);
  • Não retire o tecido danificado de cima da pele;
  • Não retire corpos estranhos do local queimado;
  • Não coloque gelo sobre a ferida;
  • Não coloque nenhum produto sobre a ferida (ex.: creme dental, manteiga, pó de café, etc);
  • Procure atendimento médico para melhor detalhamento da conduta.

QUEIMADURAS ELÉTRICAS

Em casos leves, nota-se apenas uma contração muscular intensa e frequentemente podem causar uma queimadura de pele local. Contudo, as queimaduras elétricas costumam enganar o seu real dano, por causarem lesões internas e, portanto, exigem uma avaliação médica para quantificar o verdadeiro dano. Muitas vezes, a queimadura pode resultar em uma parada cardiorrespiratória e/ou comprometimento de outros órgãos. Sendo assim, as instruções são:

  • Afaste a vítima da causa, em segurança (cuidado para não mais uma vítima);
  • Desligar a fonte de eletricidade;
  • Na suspeita ou confirmação de exposição a alta voltagem, chame ajuda imediatamente;

QUEIMADURAS QUÍMICAS

  • Remova toda vestimenta que contenha o material suspeito;
  • Enxágue abundantemente o local acometido apenas com água corrente ou soro fisiológico;
  • Não utilize outro produto para a limpeza do local. Algumas delas podem intensificar o dano.
  • Procure atendimento médico para melhor detalhamento da conduta. Se possível, leve o produto ou a imagem do produto causador para agilizar a conduta médica.

CASOS POTENCIALMENTE GRAVES

Em casos potencialmente graves ou em situações específicas, a vítima deve ser transportada a um Centro Especializado em Tratamento de Queimados (CETQ). Em Minas Gerais, a referência é a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital João XXIII. Abaixo, as indicações de encaminhamento imediato aos CETQ:

  1. Queimaduras de 2º grau em 10% ou mais da superfície corporal;
  2. Todas as queimaduras de 3º grau;
  3. Queimadura em face, olhos, ouvidos, mãos, pés, genitália, períneo e grandes articulações;
  4. Queimaduras elétricas graves;
  5. Queimaduras químicas importantes;
  6. Queimaduras lesão em via aérea;
  7. Queimaduras importantes em pacientes com comorbidades importantes;
  8. Toda vítima de queimadura associada a um trauma;
  9. Crianças sem atendimento especializado;
  10. Queimadura em pacientes que necessitam de intervenções especiais.