A Importância da Vacina contra Influenza

By | 16 de julho de 2021

Vacina Influenza

Autor: Pedro Otávio Oliveira Santos

Em plena segunda guerra mundial, um jovem estudante de medicina conhecido como Jonas Salk e sua equipe de pesquisadores, conseguiram criar o que hoje é algo tão comum em nosso dia a dia, a vacina da gripe! No Brasil, foi no ano de 1999 que, por meio do Plano Nacional de Imunizações (PNI), a população começou a ser vacinada em larga escala contra esse vírus!

Como atualmente vivemos um contexto delicado por estarmos promovendo duas campanhas simultâneas de vacinação, a da gripe e a da covid-19, é de extrema importância que relembremos  sobre a importância de nos proteger contra o vírus da Influenza, o causador da gripe. É sim possível receber as duas vacinas, e mais do que isso, é essencial!

Quer entender mais sobre a importância da vacinação contra a gripe e seu impacto na pandemia da covid-19? Acompanhe o post abaixo!


ANTES DE TUDO, O QUE É A GRIPE?

A gripe é uma infecção viral causada pelo vírus Influenza. Muito diferente do que alguns pensam, a gripe não é o mesmo que um resfriado. Ambos podem trazer sintomas até certo ponto semelhantes, mas, além do vírus causador do resfriado ser outro, o quadro gerado por ele é bem mais leve, não deixando a pessoa incapacitada, como ocorre na gripe causada pelo Influenza!

Você sabia? O vírus da Influenza não é um só! Existem vários, sendo que dois são de maior importância, o Influenza A e o B!

Os vírus Influenza A e B são os responsáveis pela maioria das epidemias de gripe que vemos todos os anos surgirem e irem embora. Algumas breves diferenças entre eles é que o tipo A consegue infectar outros mamíferos além dos seres humanos, como os porcos, por exemplo. Já o tipo B é exclusivo dos humanos! Uma outra peculiaridade importante, é que o Influenza A é muito mais esperto para se disseminar, conseguindo causar pandemias (contaminação de vários países).

Você sabia? Esses vírus podem ser chamados por outros nomes como, por exemplo, H1N1. Essa nomenclatura se refere a pequenas partículas presentes no vírus, as hemaglutininas (H) e as neuraminidades (N).

COMO SABER SE ESTOU COM GRIPE OU RESFRIADO?

Tanto o paciente com um leve resfriado, quanto aquele que possui um quadro de gripe, podem ter sintomas parecidos, como coriza (nariz congesto e secretivo), espirros, dor de garganta, tosse e dor de cabeça. Mas o paciente infectado pelo vírus Influenza, possui um quadro muito mais intenso, com os seguintes sintomas: 

  1. Febre alta (acima de 38ºC);
  2. Dor muscular;
  3. Cansaço e fraqueza;
  4. Perda do apetite; 
  5. Vômitos e sintomas intestinais (principalmente as crianças pequenas).

Então, por mais que exista uma grande confusão no reconhecimento pela população entre resfriado e gripe, esta última é uma infecção viral muito mais séria e intensa, que pode levar a complicações muito graves para o paciente, tais como desidratação, dificuldade respiratória abrupta, pneumonia e em casos avançados e de diagnóstico tardio, até o óbito. 

Você sabia? Tomar a vacina contra a gripe não protege apenas você, mas também aqueles ao seu redor, já que não tendo infecção você não irá transmiti-la!


QUEM PODE SER VACINADO CONTRA A GRIPE?

Todos que possuem mais do que 6 meses de idade podem e devem tomar a vacina da gripe! O que acontece todos os anos durante as campanhas, é que para tornar o acesso mais organizado e manter uma equidade no processo vacinal, o Ministério da Saúde por meio das Unidades Básicas de Saúde, estabelece uma ordem prioritária dos grupos a serem vacinados em cada fase, sendo eles:

  1. Crianças de 6 meses até 6 anos de idade;
  2. Gestantes;
  3. Puérperas (pacientes após o parto);
  4. População indígena;
  5. Trabalhadores da área da saúde;
  6. Idosos com mais de 60 anos;
  7. Professores;
  8. Pessoas com deficiências permanentes.

Existem outros vários grupos prioritários que são contemplados nas fases iniciais das campanhas de vacinação, estes são apenas alguns grupos para que possamos entender melhor! Após estas etapas prioritárias, as vacinas excedentes são distribuídas para as populações de menor risco, entrando aqui a regra de que todos aqueles pacientes com mais de seis meses de idade podem ser vacinados!

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO

Ao se vacinar, o paciente diminui muito a chance de ser contaminado pelo vírus Influenza, porque a vacina ensina ao nosso organismo como reconhecer o vírus e a montar uma resposta de defesa forte contra ele! Além disso, aquelas pessoas que se vacinaram e ainda assim se contaminaram com o vírus, têm uma chance muito menor de sofrer complicações da infecção, de serem internadas por isso, e de evoluírem para óbito! 

Como se não bastasse todas essas vantagens, ainda temos que lembrar que ao se vacinar contra a Influenza, nós ajudamos muito nossos familiares, protegendo indiretamente eles, e também o sistema de saúde! O fato de não ficarmos gripados, evita que exista uma lotação ainda maior dos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), liberando esses serviços para atuarem contra a atual pandemia da covid-19. 

Você sabia? A vacina contra a gripe não é feita de vírus vivo enfraquecido, mas sim de suas pequenas partículas H e N. Isso impede que tenhamos sintomas gripais expressivos após a vacinação! 

Mas a grande pergunta do momento é: eu posso me vacinar contra a gripe e contra a covid-19? E a resposta para isso é sim! Todos que estão sendo contemplados pela vacinação da covid-19 podem e devem tomar a vacina contra a influenza, bastando apenas esperar um intervalo de 14 dias entre as vacinas. Respeitando essas recomendações, uma vacina não irá interferir na outra, e assim estaremos protegidos de duas infecções virais de grande importância na humanidade!


AMPLIAÇÃO DA CAMPANHA VACINAL

Desde o dia 03 de Julho, o Ministério da Saúde ampliou a campanha vacinal para todos os pacientes com idade acima de 6 meses. A cobertura realizada nos grupos de risco prioritário alcançou níveis satisfatórios, mas aqueles que ainda não tomaram durante a sua fase, são encorajados a tomar o quanto antes! 

Para se vacinar, basta procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua residência e se apresentar lá com o cartão de vacina e com um documento de identificação com foto, para que os profissionais na UBS possam de encontrar ou te cadastrar no sistema. Caso não tenha um cartão de vacina, isso não te impede de ser vacinado, lá você ganhará um para registrar suas doses! 

IMPORTANTE:  Lembrando que cada cidade tem tido independência para escolher a forma que vai seguir esta fase ampliada de vacinação, sendo assim, se informe com seu centro de saúde para saber como está em sua área! Ah e não se esqueça, seguir as normas de segurança contra a covid-19 é muito importante, vá de máscara e higienize bem as mãos sempre que puder!

Referências: