Monthly Archives: agosto 2021

O QUE VOCÊ SABE SOBRE A RAIVA? MUITA ATENÇÃO!

Autor*: Pedro Otávio Oliveira Santos

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda causada pelo vírus do gênero Lyssavirus, da família Rhabdoviridaeque acomete mamíferos, inclusive o homem, e se caracteriza como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%.

A diminuição no número de casos de raiva humana transmitida por cães e gatos doentes, nos últimos anos, deve-se, principalmente, às campanhas anuais de vacinação animal, além da indicação de profilaxia antirrábica humana oportuna!

Quer entender mais sobre a raiva? Acompanhe nosso post a seguir!

COMO A RAIVA É TRANSMITIDA?

A infecção pelo vírus da raiva ocorre a partir da mordedura, lambedura e/ou arranhadura de animais que possam estar contaminados, como gatos, cachorros e morcegos. É importante lembrar que o vírus da raiva pode ser encontrado na saliva dos animais doentes e, portanto, não apenas a mordida, mas também a lambedura e às vezes a arranhadura, podem levar o vírus para os seres humanos!

Depois que uma pessoa sofre algum acidente ou agressão por animais doentes suspeitos, por exemplo, é mordido por algum deles, os sintomas podem demorar meses a aparecer! A este tempo de espera para o início dos sintomas, damos o nome de período de incubação, que é o período em que o vírus penetra no organismo até o aparecimento dos sintomas.

Você sabia? O vírus da raiva é neurotrópico, ou seja, prefere o sistema nervoso, local em que ele produz os sintomas mais importantes!

COMO RECONHECER UM CÃO OU GATO RAIVOSO?

O animal fica com o comportamento diferente, geralmente pára de comer, procura ficar em locais mais escuros, tenta ingerir líquido, mas não consegue. Pode ficar agressivo, babar e seu latido normalmente fica rouco e prolongado como um uivo. O animal doente normalmente morre sete dias após o início dos sintomas.

COMO REAGIR EM CASO DE AGRESSÃO POR CÃO OU GATO? NÃO MACHUQUE E NEM MATE O ANIMAL!

Mantenha-o preso em local seguro, durante dez dias, com água e comida à vontade.

Evite contato próximo e não permita que outras pessoas e animais se aproximem dele.

A pessoa agredida deve lavar bem a ferida com água e sabão e PROCURAR UMA UNIDADE DE SAÚDE PRÓXIMA DE SUA CASA. SE O ANIMAL DESAPARECER OU MORRER, RETORNE IMEDIATAMENTE AO CENTRO DE SAÚDE!

COMO SE PREVENIR DA DOENÇA?

– Vacine seu cão e gato anualmente;

– Não deixe animais soltos nas ruas;

– Jogue o lixo no local correto, evitando assim o acesso desses animais;

– Não mexa com animais desconhecidos ou doentes;

– Não separe brigas de animais;

– Passeie com seu animal sempre preso em coleira;

Lembre-se! Quando houver acidente ou agressão por animais doentes, deve-se procurar de imediato a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa!

Atenção! O risco de transmissão da doença pelo morcego é sempre elevado. Por isso, todo acidente com morcego é considerado grave!

 

VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA ANIMAL

23-08_caes

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, através de seus programas de vigilância da raiva animal, estimulam e promovem campanhas para vacinação de cães e gatos contra a raiva uma vez por ano. Tal ação, gratuita e ofertada pelo SUS, permitiu uma queda importante no número de casos de raiva humana e animal. É importante lembrar que os animais domésticos devem ser vacinados todos os anos!

O mês de vacinação varia de acordo com cada município, entre em contato com a Secretaria de Saúde de seu município para saber melhor como funciona na sua região!

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)

O tratamento profilático contra a raiva humana é ofertado pelo SUS, de forma gratuita, e encontra-se implantado em todos os municípios de jurisdição do estado de Minas Gerais, daí a importância de quando houver acidente ou agressão por animal doente, procurar imediatamente a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência para avaliação do profissional de saúde.

 

Referências

Agosto Dourado

benefits of breastfeeding for newborns. happy motherhood. family values.

benefits of breastfeeding for newborns. happy motherhood. family values.

Autor*: Pedro Otávio Oliveira Santos

O mês de agosto é muito especial e importante para a saúde pública, sendo conhecido como Agosto Dourado, o mês de proteção e incentivo ao aleitamento materno! Mais precisamente, na primeira semana deste mês, os órgãos de saúde de todo o mundo se juntam para relembrar toda a população sobre a importância da prática do aleitamento materno para o desenvolvimento infantil e para a saúde materna, sendo comemorada a Semana Mundial de Aleitamento Materno. 

Este ano o tema proposto para a semana é “Proteger o aleitamento materno: uma responsabilidade compartilhada”. As mulheres grávidas e lactantes precisam de proteção diferenciada para evitar danos à sua saúde ou de seus bebês. Também precisam de proteção para garantir que seus postos de trabalho não sejam ameaçados pela gravidez ou licença maternidade. A proteção à maternidade é fundamental para permitir a amamentação e capacitar os pais para a implementação bem-sucedida das práticas de aleitamento materno recomendadas.

Desde o ano passado, esta campanha tem tido uma importância ainda maior devido ao contexto em que todos nós estamos inseridos, a pandemia da covid-19. Algumas questões ainda surgem nas cabeças das mães e familiares, como, por exemplo, posso amamentar meu filho se eu estiver diagnosticada ou com suspeita para a COVID-19? Por meio deste post iremos entender muito mais sobre o aleitamento materno. Acompanhe abaixo!


O ALEITAMENTO MATERNO

O ato de uma mãe amamentar uma criança vai muito além do sentido nutricional deste processo. Na verdade, o aleitamento materno deve ser entendido como o momento de maior união e vínculo entre a mãe e o bebê, que compartilham naquele momento um sentimento mútuo de segurança e afeto! Sabemos que é desde esse momento, nas primeiras horas da vida da criança, que ela começa a desenvolver sua confiança na relação mãe-filho. 

O leite humano é um alimento que contém equilíbrio de nutrientes, carboidratos e proteínas na medida exata para prover o crescimento e a imunidade dos bebês, além de combater as infecções infantis, desenvolver o cérebro e aumentar a resistência a doenças crônicas,tais como asma, alergias e diabetes.

O leite materno, que começa a ser produzido ainda durante o período gestacional, é feito sob medida para a criança. O organismo materno produz anticorpos a partir do contato com microrganismos do ambiente, que irão proteger o bebê de agentes infecciosos do próprio ambiente! Sendo assim, não existe essa história de que o leite de uma mãe é fraco, muito pelo contrário, ele é a maior energia e defesa para o recém-nascido!

Você sabia? A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde orientam que o aleitamento materno exclusivo seja realizado até que a criança tenha 6 meses de vida. E que o aleitamento seja continuado até os 2 anos de vida ou mais. 

 

ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO NOS PRIMEIROS SEIS MESES

Aleitamento materno exclusivo acontece quando a criança recebe somente leite materno, direto da mama ou ordenhado, sem outros líquidos ou sólidos, com exceção de gotas ou xaropes contendo   vitaminas, sais de reidratação oral, suplementos minerais ou medicamentos.

Nos primeiros seis meses de vida, como vimos até aqui, deve ser oferecido apenas leite materno. Nesse período não há necessidade de chás, sucos, outros leites ou água, mesmo quando o tempo estiver muito quente e seco. Após essa idade, deverá ser oferecida alimentação complementar saudável. Mais detalhes podem ser encontrados no Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de Dois Anos (https://aps.saude.gov.br/biblioteca/visualizar/MTQ0Ng==).

E QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DO LEITE MATERNO? 

O leite materno é o alimento completo, de fácil digestão e promove um melhor crescimento e desenvolvimento, além de proteger contra doenças! É natural e seguro, está sempre pronto, na temperatura adequada, não precisa de preparo, e é produzido de acordo com a necessidade do bebê. Crianças amamentadas têm um risco muito menor de ter diarreia, infecções respiratórias e de necessitar de internações!

Alguns outros benefícios são:

  • Permite um melhor desenvolvimento intelectual da criança;
  • O ato de sugar a mama, favorece o desenvolvimento e fortalecimento  facial, facilitando o desenvolvimento da fala e prevenindo problemas de dentição;
  • Não tem custos;
  •  Cria um vínculo entre a mãe e o bebê;
  • Para as mulheres: diminui as chances de desenvolverem diabetes e infarto cardíaco.
  • Diminui o risco de câncer de mama e de ovário;
  •  Ajuda a reduzir a hemorragia após o parto.

Você sabia? Muitas mulheres pensam que seu leite é fraco, mas isso não existe! Cada mãe produz um leite específico para o seu filho, contendo a quantidade correta de proteínas, gorduras e carboidratos, além de células de defesa para proteger o recém-nascido de várias infecções. 


DICAS PARA O ALEITAMENTO MATERNO

É fundamental que sempre que necessário a mulher deve procurar um profissional de saúde capacitado para melhor orientá-la e apoiá-la. Procure a Unidade Básica de Saúde, Banco de Leite Humano (BLH) e Postos de Coleta de Leite Humano (PCLH) mais próximo. É por meio deste contato com o profissional da saúde que alguns ajustes necessários poderão ser feitos na forma em que a amamentação está ocorrendo.

Mas, existe uma forma adequada para amamentar? Sim! E é muito útil para a mãe seguir algumas orientações, pois isso permite que o bebê seja melhor acomodado e que a mãe possa se sentir mais confortável. Algumas das dicas para uma boa amamentação serão descritas aqui, mas lembre-se, é fundamental que sempre que necessário a mulher deve procurar um profissional de saúde para melhor orientá-la e apoiá-la! Também é muito importante o apoio de familiares e amigos.

  • A mãe deve estar em uma posição confortável para si mesma;
  • O bebê deve estar virado para a mãe, bem junto de seu corpo;
  • A cabeça e o corpo da criança devem estar alinhados;
  • A barriga do bebê deve estar encostada na barriga da mãe;
  • Quando o bebê pega o peito, o queixo deve encostar na mama, os lábios ficam virados para fora  
  • A criança deve abocanhar, além do mamilo, o máximo possível da parte escura da mama (aréola) da mãe.

Você sabia? O(a) companheiro(a) da mãe possui um papel fundamental no processo de aleitamento materno. O suporte e o apoio afetivo-emocional à mãe, e a sua presença no momento da amamentação fortalecem os laços familiares e sua relação com o filho!

Cique aqui e saiba a localização dos BLH e PCLH de MG


ALEITAMENTO MATERNO E A COVID-19

Em meio à pandemia que estamos vivendo, diversas mães tiveram dúvidas se poderiam continuar o aleitamento materno caso fossem infectadas pela covid-19. Até o momento, estudos não demonstraram que o vírus seja transmitido por meio da amamentação.     

A mãe suspeita ou com diagnóstico de COVID- 19 pode amamentar, se sentir confortável e assim desejar, tomando alguns cuidados higiênicos e seguindo algumas recomendações:

  • Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;
  • A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada;
  • Lavar com frequência as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora). Se não for possível, higienize as mãos com álcool  70%; 

Para as mães que não estão confortáveis e seguras no momento da amamentação, o leite pode ser ordenhado/extraído e oferecido em copinho, xícara ou colher à criança por outro membro da família, como o pai, os avós ou outros!

Para saber quais são as orientações completas para a retirada do leite de forma segura e eficaz, clique AQUI

Observação: Se não for retirar o leite manualmente, siga rigorosamente as recomendações para limpeza das bombas de extração de leite, bem como dos recipientes de armazenamento de leite, e dos utensílios de alimentação após cada uso.

POR QUANTO TEMPO POSSO ARMAZENAR LEITE ORDENHADO?

O processo de ordenhar o leite para guardá-lo e oferecê-lo à criança posteriormente deve ser feito de maneira apropriada, tomando os devidos cuidados para manter a qualidade. Portanto, para aquelas mães que precisam realizar a retirada do leite, é importante procurar uma Unidade de Saúde, Banco de Leite Humano ou Posto de Coleta para orientações. Mas, de forma geral, o leite materno ordenhado pode ser mantido na geladeira por até 12 horas e no freezer por até 15 dias. Portanto, é muito importante que o leite seja armazenado com a data do dia da retirada no frasco (que deve ser de vidro com a tampa de plástico). O leite mantido no freezer deve ser descongelado em banho maria, sem contato direto com o fogo e deve ser agitado lentamente para misturar todos os seus componentes! OBS: O leite não deve ser fervido e nem aquecido em micro-ondas, pois este tipo de aquecimento pode destruir componentes de proteção.

Mais orientações podem ser encontradas neste LINK
Referências: