Hipoclorito de sódio 2,5%: para que serve e como utilizar

By | 25 de janeiro de 2022
Crédito: Agência Brasil

Crédito: Agência Brasil

Distribuição de hipoclorito é uma das ações do SUS para tratamento doméstico da água

A ingestão de água contaminada pode provocar uma série de doenças. Leptospirose, Hepatite A, Diarreia Aguda e Febre Tifóide são algumas delas, que têm maior incidência durante a temporada de chuvas. Isso porque a ocorrência de enchentes e enxurradas, comuns do período chuvoso, pode comprometer as fontes de água, especialmente para quem a utiliza de reservatórios e poços artesianos. 

Dessa forma, a desinfecção caseira da água para consumo humano é uma estratégia a ser utilizada pelas famílias que não dispõem de tratamento adequado. Em Minas Gerais, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promove a distribuição do hipoclorito de sódio 2,5% a todos os municípios mineiros. Clique aqui e saiba mais.

O hipoclorito de sódio a 2,5% destina-se a famílias que não são abastecidas com água tratada; em casos de paralisação do sistema de abastecimento de água; e em caso de surto com suspeita de veiculação hídrica.  Nesses casos, os municípios devem realizar  a distribuição rotineira do hipoclorito à todas às famílias e também escolas de zona rural sem água tratada.

Crédito: Ministério da Saúde

Crédito: Ministério da Saúde

Orientação para utilização do hipoclorito

O Ministério da Saúde recomenda primeiramente realizar a filtração da água (com filtro doméstico, coador de papel ou pano limpo) e depois realizar a adição de 2 (duas) gotas de hipoclorito para cada 1 (um) litro de água. Na sequência, misturar bem e deixar a água repousar por 30 minutos antes do consumo. A água tratada com hipoclorito de sódio a 2,5% deve ser consumida no mesmo dia, e só deve ser utilizada para desinfetar a água para consumo humano.

Fluxo de distribuição aos municípios

A SES-MG orienta que a solicitação do hipoclorito de sódio a 2,5% seja realizada com antecedência de 30 dias, conforme a demanda de cada município, para evitar o desabastecimento até a entrega. Recomenda-se o seguinte fluxo de comunicação da solicitação: Secretaria Municipal de Saúde > Unidade Regional de Saúde (URS) > Coordenação de Vigilância em Saúde Ambiental (CVSA). Clique aqui e saiba mais.

Após a solicitação pelas URS, a CVSA autorizará a liberação junto à Diretoria de Medicamentos Estratégicos (DME), e a entrega será realizada através da equipe responsável pelo almoxarifado central da SES-MG na unidade regional solicitante. A previsão da entrega do insumo é de até 30 dias após a data da autorização da DME.

Anteriormente ao período chuvoso e período seco, a SES-MG verifica junto às Regionais a necessidade de envio adicional do insumo.

Fique ligado(a)!

Famílias não abastecidas com água tratada, ou que estejam temporariamente sem acesso à água tratada – seja em virtude de paralisação do serviço de abastecimento, ou por motivo de desastres de origem natural ou de atividades humanas – poderão solicitar o insumo diretamente na Secretaria de Saúde do seu município.

Atenção, gestor e profissional da saúde!

A SES-MG não determina modelo de fluxo de distribuição no âmbito do municipal, em virtude da descentralização das ações de Programa VIGIÁGUA, além do fato de que cada município tem seus processos de trabalho próprios. No entanto, recomenda a entrega de 2 (dois) frascos de hipoclorito para cada família por mês; ou em caso de instituições, 1 frasco para cada 4 pessoas. Caso seja uma localidade de difícil acesso, pode se realizar a entrega de 2 em 2 meses, considerando a validade do insumo.

A entrega do hipoclorito deve ser precedida pela orientação sobre o modo e os benefícios da utilização, além dos riscos relacionados ao consumo de água fora dos padrões de potabilidade. Para melhor alcance de resultados, sugerimos a realização de uma palestra (sem aglomerações) à população, por localidades trabalhadas. Sugere-se ainda a parceria com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) na entrega do hipoclorito mensalmente, já que eles possuem rotina de visitas mensais às residências familiares.