Author Archives: Pollyana Teixeira

#MobilizaçãoDaSaúde: Em parceria com Hemominas, Cruzeiro promove campanha “Sangue Azul”

por Lucas Leite | ASCOM Cruzeiro Esporte Clube

Com um simples gesto, uma única pessoa pode salvar vidas. Através da solidariedade de doadores de sangue, a Fundação Hemominas beneficia milhares de pacientes espalhados em hospitais do estado. No entanto, com os baixos estoques, a instituição encontra dificuldades para ajudar a mudar a história dos mais necessitados.

Para conscientizar a sociedade sobre a importância da doação, o Pentacampeão da Copa do Brasil retoma, a partir do próximo domingo, a campanha “Sangue Azul”, responsável por movimentar a imensa Nação Azul desde 2004. A iniciativa conta com apoio da Caixa Econômica Federal.

Dando início às ações, a Raposa e a Hemominas farão o cadastramento de torcedores no domingo, na esplanada Sul do Mineirão, antes do clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG. Na próxima terça-feira, esses cruzeirenses se encontrarão na Sede Administrativa e serão levados pelo Clube, no ônibus do Tetracampeão Brasileiro, à fundação para contribuírem com a causa.

Ainda no domingo, no duelo válido pelo Campeonato Brasileiro, os jogadores do Cruzeiro entrarão no gramado do Gigante da Pampulha com uma camisa alusiva à campanha no intuito de chamar a atenção da Nação Azul para a causa.

Neste ano, as ações da campanha “Sangue Azul” serão realizadas até o dia 12 de novembro e contemplarão visitas do Raposão em escolas, distribuição de cartilhas e informativos sobre o tema, além de outras medidas.

Os cruzeirenses que quiserem aderir à campanha também podem comparecer em qualquer uma das unidades da Hemominas e informar o desejo de ser um doador de sangue. Para saber a unidade mais próxima, acesse: www.hemominas.mg.gov.br

A campanha

A “Sangue Azul” faz parte do projeto “Cruzeiro Solidário”, responsável por diversas iniciativas de responsabilidade social importantes como o Adote um Campeão, Setembro Dourado e Dezembro Laranja, além das visitas do Raposão e Raposinho em instituições de acolhimento, hospitais, asilos e escolas.

Você pode ajudar! Os bancos de sangue estão com estoque baixíssimo. Doe! Se você não puder doar, incentive quem possa. Muitas pessoas precisam de você. Ajude a salvar vidas!

Veja o que é necessário para doar sangue:

– Ter e estar com boa saúde;
– Não ter contraído hepatite após os 11 anos de idade;
– Ter entre 16 e 69 anos de idade. Jovens de 16 e 17 anos podem doar, acompanhados pelo responsável legal, que deverá apresentar um documento de identidade e assinar a autorização no local de doação.
– Se o jovem de 16 ou 17 anos estiver desacompanhado, ele deverá apresentar os seguintes documentos do responsável legal: autorização preenchida e assinada (modelo disponível no site www.hemominas.mg.gov.br) e a fotocópia do mesmo documento de identidade constante na autorização.
– A partir de 61 anos, o candidato deverá comprovar a realização de pelo menos uma doação anterior;
– Pesar mais de 50 kg;
– Dormir bem na noite anterior:
– Não ingerir bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
– Não ter feito tatuagem, maquiagem definitiva ou piercing nos últimos 12 meses;
– Não ter se submetido a exame de endoscopia nos últimos 6 meses;
– Não ter sido exposto a situação de risco acrescido para doenças sexualmente transmissíveis;
– Não ter sido submetido a exame de endoscopia ou broncoscopia nos últimos 6 meses;
– Se doar pela manhã, alimente-se antes. Após o almoço, dê um intervalo de 3 horas.

#HigieneÉSaúde: Veja como cuidar de toalhas, escova de dentes e roupas de cama

A higiene corporal é condição essencial para uma vida saudável, e alguns hábitos e cuidados precisam ser adotados como rotina em nosso dia-a-dia. Alguns desses dizem respeito ao trato com objetos de nosso uso pessoal, como a escova de dentes, as toalhas de banho, roupas de cama e lâminas de barbear.

Como já é sabido, nosso corpo é repleto de micro-organismos. Logo, quando nos secamos com uma toalha, usamos uma lâmina ou escovamos os dentes, eles se depositam nesses objetos, que ainda apresentam ou são armazenados em condições favoráveis para a sua multiplicação, como conter resíduos celulares ou estarem em contato com umidade e oxigênio.

O risco aumenta para aqueles que compartilham toalhas, lâminas e roupas de cama, deixando o corpo exposto aos micróbios alheios.

👉 Por isso, o Blog da Saúde MG foi pesquisar este assunto e trouxe um guia de cuidados básicos com alguns dos artigos de nosso uso pessoal:

#Artigo: Crescer com palmadas faz mal à saúde

Profa.Dra. Evelyn Eisenstein
Rede Nacional Primeira Infância

Crianças e adolescentes estão em fase de crescimento e desenvolvimento corporal, mental, emocional, social e necessitam de apoio e proteção social, uma simples questão de Direitos à Saúde e Vida, mas que se tornou bastante complexa no Brasil de hoje. A violência diária, estrutural e cultural vai sendo banalizada e se tornando um ciclo vicioso entre gerações.

É isso que queremos? Saúde ou doença? Quais escolhas nós iremos fazer de investimento para nossos filhos, para os escolares, para os universitários em cada canto do país? Castigar e maltratar? Ou proteger e prevenir todos os tipos de violência e abusos?

A “punição corporal”, que vem sendo justificada como uma “disciplina familiar” é na realidade, um abuso “silencioso” que vai humilhando e traumatizando a criança. Isso trará conseqüências em seu aprendizado e rendimento escolar, na sua (des)integração social e no uso de drogas/álcool, aumentando os dados estatísticos de mortes por causa externa ou “fatalidades” (homicídios, suicídios e acidentes), perigos que poderiam ter sido prevenidos, se a atitude de construção para a vida fosse outra, de educação para a paz e a saúde!

O castigo corporal é a força física empregada com intuito de castigar, disciplinar, silenciar, ameaçar ou controlar o comportamento ou a conduta impulsiva da criança/adolescente em qualquer situação ou local de moradia. É considerado como abuso físico e emocional, pela Organização Mundial de Saúde, porque a intenção é “punir” em vez de “dialogar”. Muitos atos considerados “disciplinares” são punitivos e abusivos em vez de serem construtivos e preventivos. Às vezes envolve palavras, xingamentos ou ameaças como, “não vai jantar” (quando a alimentação é vital para o crescimento saudável e dormir com fome se torna um castigo de negação do amor!) ou “vai ficar preso em casa” (quando a moradia deveria representar espaço de abrigo e refúgio prazeroso em vez de prisão domiciliar!).

Leia o artigo completo aqui.

#SaúdeELiteratura: Já conferiu os livros da Biblioteca da ESP-MG?

Por Sílvia Amâncio
ASCOM ESP-MG

livros02

Procurando aquele livro de saúde pública ou saúde coletiva para pesquisa? Ou aquele autor referência em sua área de conhecimento? Não deixe de conferir o acervo da Biblioteca da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG).

A Biblioteca Agostinho Pestana, localizada na Unidade Sede da ESP-MG em Belo Horizonte, conta com a parceria da Biblioteca de Ciências da Saúde do Instituto de Pesquisas René Rachou (Fiocruz Minas), e disponibiliza mais de 15.000 obras para consultas, incluindo artigos, periódicos e fontes digitais. No acervo, os usuários encontram publicações sobre saúde pública, coletiva, artigos e periódicos científicos e uma diversidade de obras de literatura.

Na última semana, o espaço recebeu 11 novos livros, de autores como Milton Santos, Michel Foucault, Boaventura de Sousa Santos, entre outros, adquiridos com recursos de pesquisa junto a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapemig).

O espaço é aberto ao público (que também pode realizar empréstimos de livros) de segunda a sexta-feira, de 08h às 18h, na Unidade Sede da ESP-MG (Av. Augusto de Lima, 2061 – Barro Preto – Belo Horizonte/MG).

Mais informações: (31) 3295-4010 | biblioteca@esp.mg.gov.br.

#VocêSabia: Amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama

Mother breastfeeding baby in living room

A amamentação gera inúmeros benefícios para a saúde da mãe e do bebê. Mas você sabia que a prevenção do câncer de mama é um deles? Sim: o risco de contrair a doença diminui 4,3% a cada 12 meses de duração de amamentação, e essa proteção independe de idade, etnia, paridade e situação hormonal (pré ou pós- menopausa).

Neste ano, a revisão do Fundo Mundial para Pesquisas sobre Câncer (World Cancer Research Fund – WCRF) sobre lactação e câncer de mama aponta que a amamentação provavelmente diminui o risco de câncer de mama inclusive em mulheres até a pós-menopausa.

O mecanismo responsável para tal proteção ainda não foi completamente esclarecido, mas existem várias hipóteses para isso. “Tem uma hipótese que afirma que enquanto a mulher amamenta, ela bloqueia os ciclos ovulatórios, diminuindo a sobrecarga hormonal. Ou seja, ela deixa de produzir um quantitativo maior de hormônios femininos nessa fase. Então, isso poderia ser uma explicação plausível, uma vez que grande parte dos casos de câncer de mama sofrem influência dos hormônios femininos”, explica Ronaldo Corrêa, editor científico da Revista Brasileira de Cancerologia.

Outra hipótese seria o fato da maior exfoliação das células dos ductos mamários durante a amamentação e a grande morte programada das células mamárias após a amamentação promoverem a remoção de células com alguma alteração genética.

Em resumo, amamentar provavelmente diminui o risco de câncer de mama em mulheres na pré e pós menopausa, além de estar associado a outros benefícios de saúde para a mulher e para a criança. Manter o peso ideal para a idade, praticar atividades físicas regularmente, não consumir álcool, consumir diariamente uma dieta rica em frutas, verduras e legumes também contribuem para diminuir o risco de câncer de mama.

Fonte: Blog da Saúde

#TOP5: Grandes mulheres da história da saúde pública no Brasil | Parte 2

história da saúde pública brasileira é marcada pela atuação de grandes mulheres, ✊🏾👩🏾 sejam pesquisadoras, cientistas, médicas, enfermeiras, gestoras, enfim, mulheres trabalhadoras que acreditaram e/ou seguem acreditando na construção de uma saúde pública em prol da população brasileira, a despeito de todas as dificuldades impostas pelas desigualdades de gênero que ainda marcam a nossa sociedade. É em homenagem a essas mulheres, que o Blog da Saúde MG te apresenta, novamente, algumas dessas grandes figuras. Se você perdeu a primeira parte da lista de grandes mulheres da saúde pública, confira aqui!

👉🏽 E #FiqueLigado: vamos seguir falando de outras grandes mulheres da saúde pública, ok?

#Artigo: Uma obra-prima na história da humanidade

por Gabriel Moraes Madeira
CES-MG

PorUmaSociedade

O SUS é a melhor resposta, em termos de Saúde Pública, para a sociedade, diz Ernesto Venturini, um dos precursores da Reforma Psiquiátrica Italiana.

Dia Mundial da Saúde Mental

10 de outubro, Dia Mundial da Saúde Mental: em 1992, a Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health – WFMH), uma organização sem fins lucrativos criada em 1948, estabeleceu a data como símbolo de enfrentamento contra o preconceito, a falta de conhecimento, o isolamento e o estigma. Desde então, defende que a saúde mental seja uma prioridade global.

A Organização Mundial da Saúde encampou a iniciativa, conferindo visibilidade a este assunto que toca a todas e todos, independente da nacionalidade. Dessa forma, o 10 de outubro, Dia Mundial da Saúde Mental, tornou-se um marco para a organização de diversas iniciativas em diversos países, como o Brasil , Itália, Austrália, Estados Unidos, Inglaterra, Canadá e outros.

SUS em foco: Saúde Mental no Brasil

No centro do debate sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) está a discussão sobre o modelo de Estado e sociedade ideais, o que implica falar sobre sistemas políticos. O SUS nasceu como resultado de uma luta democrática, o Movimento da Reforma Sanitária, que enfrentou a ditadura militar a partir de bandeiras como o serviço público de saúde universal e de qualidade e a defesa da dignidade e dos direitos das usuárias e usuários dos serviços de saúde mental.

O Movimento da Reforma Sanitária no Brasil sofreu forte influência da Psiquiatria Democrática Italiana, caso de sucesso e referência em diversos cantos do mundo, cuja luta culminou na Lei Basaglia, aprovada em 13 de maio de 1978 pelo Parlamento Italiano, um marco na história da Luta Antimanicomial. A Psiquiatria Democrática se insere no contexto de graves violações aos direitos humanos do cenário pós-2ª Guerra Mundial, quando atrocidades como os campos de concentração nazistas vieram à tona, e teve em Franco Basaglia sua principal liderança, figura de grande importância para as transformações realizadas na saúde mental.

> Leia o artigo completo no site do Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG) aqui.

#Dica: 2ª Conferência de Saúde das Mulheres é tema da Radis de outubro

22310643_1722445594446318_7645151928493625800_n

A edição de outubro da revista Radis Comunicação e Saúde trata da 2ª Conferência de Saúde das Mulheres. Nela, as repórteres Elisa Batalha e Liseane Morosini relatam como foi a encontro, que aconteceu depois de 30 anos em Brasília. O evento, que reuniu mulheres de todo o país, discutiu o enfrentamento às violências e a afirmação de identidades.

Também neste número, a cobertura da 53ª edição do Medtrop; um documentário sobre os refugiados de Belo Monte; e as ameaças recentes à preservação da Amazônia. Acesse, leia e compartilhe em suas redes: http://bit.ly/Radis181

#Curso: UFMG abre 40 mil vagas em curso gratuito sobre atenção à saúde da mulher em situação de violência

A violência contra a mulher ainda é um problema grave no Brasil. Divulgada em março deste ano, pesquisa do Instituto Datafolha revela que 503 brasileiras são física ou sexualmente violentadas a cada hora, colocando o país em 5º lugar no ranking mundial desse tipo de crime.

Em consonância com as políticas públicas de enfrentamento dessa realidade desenvolvidas pelo Ministério da Saúde, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lança 40 mil vagas para o curso “Para elas: Atenção Integral à Saúde da Mulher em Situação de Violência”. Desenvolvida pelo Núcleo de Educação em Saúde Coletiva da UFMG (Nescon) em parceria com a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS), a qualificação visa preparar profissionais da rede básica para o cuidado da mulher em situação de vulnerabilidade.

As inscrições vão de 9 de outubro a 9 de dezembro pelo site www.nescon.medicina.ufmg.br/cursos. Gratuito e 100% a distância, o curso aborda temas como histórias dos movimentos sociais no Brasil e legislação pertinente à agressão contra pessoas do sexo feminino. A carga horária total é de 60 horas, com uma avaliação final online. A obtenção do certificado está condicionada ao acerto de pelo menos 60% das questões do exame. Os alunos têm até 9 de janeiro de 2018 para concluírem suas atividades.

#Ciência: Revista Gerais lança nova edição com foco nas ações do SUS contra a febre amarela em Minas

Por ASCOM ESP-MG

reistagerais2017

A nova edição da Revista Gerais acaba de ser lançada. Neste semestre, a publicação tem como foco as ações articuladas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais para conter o avanço da febre amarela.

» Clique aqui e confira a versão online da última edição da Revista Gerais.

A parte científica da edição conta com artigos que analisam temas atuais os mais diversos, que buscam contribuir para maior interlocução do conhecimento produzido no âmbito do Estado de Minas Gerais relacionado ao campo da Saúde Coletiva.

Em tempo

A Revista Gerais é uma publicação técnico-científico e de veiculação semestral, que possui a missão de informar ao público as ações estaduais do SUS e, ao mesmo tempo, divulgar artigos científicos relacionados à saúde pública e saúde coletiva.

A publicação conta com um Conselho Editorial composto por pesquisadores e jornalistas das instituições que compõe o Sistema Estadual de Saúde: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG); Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig); Fundação Ezequiel Dias (Funed) e Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Minas Gerais (Hemominas).

Para outras informações, envio de sugestões de pauta ou apreciação de artigos acadêmicos e trabalhos acadêmicos, basta entrar em contato no e-mail: revista.gerais@esp.mg.gov.br

Acesse: www.saude.mg.gov.br/sobre/publicacoes/revista-gerais

#FiqueLigado: Corpo de Bombeiros alerta população para prevenir acidentes na estação chuvosa

Divulgação CBMMG - 2

Divulgação CBMMG

A chuva tão esperada que molhou a terra, apagou focos de incêndio por todo o estado e melhorou a qualidade do ar, também assustou moradores das regiões Centro-Sul e Norte de Belo Horizonte, onde os ventos chegaram até 85 km/h. A estação chuvosa é propícia a tempestades, por isso todas as precauções precisam ser tomadas para a busca de abrigos seguros. Nessa época aumentam as ocorrências e os danos materiais com a queda de árvores mais frequentes do que em outras estações.

Segundo a tenente do Corpo de Bombeiros na capital, Andrea Coutinho, a orientação é para nunca se abrigar debaixo de árvores, coberturas metálicas, postes, fiação e torres de transmissão. Se estiver dirigindo sob chuva e vento forte, recomenda-se estacionar em lugar seguro e abandonar o veículo.

“As chuvas rápidas e fortes podem gerar ambientes propensos a desabamentos, o que exige atenção a todos os sinais de movimentação de terra e rachaduras nas casas”, alerta a tenente Andréa, pedindo que o imóvel seja imediatamente abandonado nessa situação. “Os moradores devem sair para lugar seguro como casa de parentes ou amigos e não se apegar a bens materiais quando a vida é o mais importante”, ratifica a militar.

A dica maior dos bombeiros é sempre pela preservação da vida. “Abandone o seu veículo em caso de enchente, bem como a sua residência com risco de desabamento e procure segurança. A mesma orientação é dirigida a quem mora perto de rios. Não entre em contato com a água, pois, além do perigo de afogamento, existe o risco de contaminação por esgoto e lixo”, conclui a tenente Andrea Coutinho.

unnamed