Author Archives: Pollyana Teixeira

Teleodontologia UFMG e SES-MG realizam websimpósio sobre Reabilitação Protética no SUS

Nesta sexta-feira (06/12), às 9h, o Centro de Telessaúde do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com a Coordenadoria de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), realiza um websimpósio com o tema Reabilitação Protética no SUS.

Direcionado aos profissionais das equipes de saúde bucal da Atenção Primária e da Atenção Especializada Ambulatorial e Hospitalar, além de gestores e Coordenadores Municipais de Saúde Bucal, o Websimpósio abordará os seguintes temas:  a Reabilitação Protética no Estado de Minas Gerais; a Implantação no município: relato de experiência exitosa na implantação de um serviço.

Não é necessário inscrição prévia.  A transmissão ao vivo ocorrerá neste link.

Sem título

Centro de Telessaúde da UFMG promove webaula gratuita sobre Atividade Física e o Programa Academia da Saúde

Nesta sexta-feira (22/11), às 15h, o Centro de Telessaúde do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com a Coordenadoria de Promoção da Alimentação Saudável e Adequada e Atividade Física da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), realiza uma webaula gratuita sobre Atividade Física e o Programa Academia da Saúde.

Direcionada a profissionais de Saúde do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e aos trabalhadores do Programa Academia da Saúde, a web aula tem como palestrante convidado Humberto Oliveira de Assis. Humberto é pós-graduando em Saúde Pública pela Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), técnico superior de saúde e profissional de Educação Física da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

Não é necessário inscrição prévia.  A transmissão ao vivo ocorrerá neste link. Após a transmissão, a web aula será gravada e posteriormente disponibilizada no canal do Youtube do Centro de Telessaúde.

 

#FalaRegional: Regional de Saúde de Coronel Fabriciano promove capacitação para municípios do Vale do Aço sobre registro de doses de vacinas no sistema e-SUS

por Flávio Samuel 

Créditos: Flávio Samuel

Créditos: Flávio Samuel

O Núcleo de Atenção Primária à Saúde (NAPRIS) da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano realizou na segunda-feira (4/11), uma capacitação sobre migração dos dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) para o sistema e-SUS. A capacitação contou com a participação de referências técnicas do programa e-SUS e profissionais responsáveis pela imunização 35 municípios que compões da região de saúde do Vale do Aço.

Segundo a referência técnica do sistema e-SUS da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Reinaldo Romeu dos Santos Junior, a migração é uma das estratégias do Ministério da Saúde para desenvolver, reestruturar e garantir a integração dos sistemas de informação em saúde, permitindo um registro da situação de saúde individualizado da população por meio do Cartão Nacional de Saúde.

“Neste encontro foi trabalhado a integração do e-SUS AB (SISAB) com o SIPNI. O e-SUS AB incorpora os módulos de registro nominal individualizado e registro individualizado de doses aplicadas. De acordo com Portaria nº 2.499/GM/MS, de 23 de setembro de 2019 e o Ofício Conjunto Circular Nº 2/2019/SVS/MS (27/09/2019), a partir do dia 23/11/2019, o registro de dados de aplicação de vacinas e de outros imunobiológicos nas Unidades de Atenção Primária à Saúde deverão ser realizados exclusivamente no e-SUS AB (PEC ou CDS)”, ressaltou.

Ainda segundo Reinaldo Romeu dos Santos Junior, durante a capacitação, o intuito é reduzir o retrabalho por parte dos profissionais de saúde, definindo um modelo integrado de registro das informações, possibilitando uma única entrada de dados para os serviços da Atenção Primária, ou seja, buscando evitar que o profissional de saúde tenha que usar vários sistemas, ao mesmo tempo, para alimentar as mesmas informações.

De acordo com a referência técnica da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Anelize Alvez Tuler, o Ministério da Saúde prevê a integração dos sistemas de informação em saúde, de modo a permitir um registro da situação de saúde individualizado da população por meio do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e ou CPF. “Reforçamos que o SIPNI continuará sendo o sistema oficial utilizado para a inclusão de dados do vacinado nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), policlínicas, hospitais, maternidades e rede privada de saúde. Destacamos ainda que em todos os serviços de vacinação o SIPNI continuará sendo utilizado para a movimentação de imunobiológicos, notificação de Eventos Adversos Pós-Vacinação – EAPV e relatórios diversos (cobertura, taxa de abandono, doses aplicadas etc.)”, finalizou.

Sistema E-SUS

O objetivo brasileiro de ter um Sistema Único de Saúde (SUS) que efetivamente cuida da população, demanda organização e capacidade de gestão do cuidado à saúde cada vez mais efetivas. Para atingir esse desafio, no contexto do maior sistema público de saúde do mundo, é essencial ter Sistemas de Informação em Saúde (SIS) que contribuam com a integração entre os diversos pontos da rede de atenção e permitam interoperabilidade entre os diferentes sistemas.

O nome, e-SUS, faz referência a um SUS eletrônico, cujo objetivo é sobretudo facilitar e contribuir com a organização do trabalho dos profissionais de saúde, elemento decisivo para a qualidade da atenção à saúde prestada à população.

O e-SUS Atenção Básica (e-SUS AB) é uma estratégia para reestruturar as informações da saúde na Atenção Básica em nível nacional. A qualificação da gestão da informação é fundamental para ampliar a qualidade no atendimento à população. A estratégia e-SUS faz referência ao processo de informatização qualificada do SUS em busca de um SUS eletrônico.

O sistema de software público e-SUS AB é um sistema de apoio à gestão do processo de trabalho. O sistema e-SUS AB foi desenvolvido para atender às necessidades de cuidado na Atenção Básica. Logo, o sistema poderá ser utilizado por profissionais das equipes de AB, pelas equipes dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF), do Consultório na Rua (CnR) e da Atenção Domiciliar (AD), oferecendo, ainda, dados para acompanhamento de programas como Saúde na Escola (PSE) e Academia da Saúde. A primeira versão do sistema apoia a gestão do processo de trabalho das equipes por meio da geração de relatórios, sendo que, a segunda versão contemplará várias ferramentas de apoio à gestão.

#FalaRegional: Servidora realiza trabalho de revitalização em jardim da Regional de Ponte Nova

Orquídeas, icsórias, sagus, jardineiras, hortênsias, azaleias, beijos, amarilis, mini-ipê amarelo, árvore da felicidade, minerva branca, coqueiro, comigo ninguém pode, entre outras espécies de flores, árvores e folhagens – plantadas em pneus que, antes, eram objetos de descarte – enfeitam a entrada da Regional de Ponte Nova. A intervenção é obra da servidora Jaqueline Moreira Alves de Assis Rodrigues, técnica de Gestão da Saúde há 33 anos na função. Ela é conhecida por suas habilidades manuais, sobretudo relacionadas à pintura e ao paisagismo.

Em seu tempo livre, dedica um carinho especial ao local que, segundo ela, tem o poder de trazer boas energias e alegria ao ambiente. O reaproveitamento de pneus é, também, uma ação de saúde: “Se descartados inadequadamente, os mesmos podem armazenar água e ser foco de dengue. No nosso caso, acondicionamos terra em seu interior, o que impede a proliferação do mosquito”, explica.

A revitalização começou graças ao olhar sensível da servidora, que viu a possibilidade de transformar o espaço em algo mais harmonioso. Pouco a pouco, máquina de poda, apetrechos de jardinagem, pinceis, terra e mudas diversas foram imprimindo um caráter único à entrada do prédio. Hoje, visitantes não adentram a edificação sem, antes, se deter por alguns minutos para apreciar o cenário, que também conta com casinha de passarinho e enfeites com motivos de natureza.

“Antigamente, esse era um prédio como tantos outros, mas ela conseguiu vislumbrar o que a natureza poderia proporcionar a ele”, destaca a superintendente Kátia Jardim de Carvalho Irias.

Jaqueline acredita que não são necessários grandes recursos para se realizar algo, bastando ter boa vontade para fazê-lo. Ela também empresta seu talento para campanhas abraçadas pela Regional, com a confecção de cartazes e decoração de ambientes dentro das temáticas de saúde trabalhadas.

#Psoríase: diga não ao preconceito

por Ana Rita Fernandes

psoriase2

No dia 29 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Psoríase. Nessa data, a SES-MG vem reafirmar o acolhimento do SUS aos portadores da doença e lembrar que o preconceito deve ser colocado de lado, uma vez que não é contagiosa.

A psoríase é uma doença da pele, crônica, autoimune, caracterizada pela presença de manchas róseas ou avermelhadas recobertas por escamas esbranquiçadas. Tem causa desconhecida e um componente hereditário, mas apesar de existir uma predisposição familiar, não significa que é transmitida aos descendentes.

Acomete homens e mulheres de todas as idades e pode ocorrer de formas diferentes como, mais discreta com lesões pontuais ou mais severa abrangendo grandes regiões da superfície do corpo.

É uma doença cíclica que apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem, estando relacionados com diversos fatores: estresse emocional, traumas, drogas, infecções, entre outros. As lesões cutâneas ocorrem com mais frequência nos cotovelos, joelhos, mãos, pés, couro cabeludo, unhas e tronco.

Tipos e sintomas

De acordo com a localização e características das lesões, existem vários tipos de psoríase:

  • Psoríase Vulgar: lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Invertida: lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras como couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Gutata: pequenas lesões localizadas, em forma de gotas, associadas a processos infecciosos. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens;
  • Psoríase Eritrodérmica: lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo;
  • Psoríase Ungueal: surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas das mãos;
  • Psoríase Artropática: em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento articular. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho;
  • Psoríase Pustulosa: aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo;
  • Psoríase Palmo-Plantar: as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

Tratamento

A psoríase, até o momento, não tem cura nem prevenção. O tratamento utilizado para a enfermidade visa reduzir a quantidade e a gravidade das lesões e controlar a reincidência. Normalmente, as prescrições são individualizadas, de acordo com o histórico clínico do paciente, caso a caso, avaliado por dermatologista ou especialista em psoríase, buscando períodos mais prolongados possível de inatividade da doença.

O SUS oferece tratamento integral e gratuito aos pacientes com psoríase e, em setembro deste ano, teve o Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) de Psoríase atualizado com novas opções de tratamento, aumentando o conjunto terapêutico e possibilitando mais alternativas para o enfrentamento da doença.

 

#BebaÁgua: Confira dicas para aumentar a ingestão do líquido no dia a dia

copo-agua-idoso

A água é um componente vital e essencial nos processos fisiológicos e metabólicos do organismo. Como, por exemplo, estimula a diurese contribuindo para a eliminação de toxinas acumuladas no corpo, ajuda na formação do bolo fecal, auxilia na manutenção da temperatura corporal e no transporte de nutrientes para as células.

Além da sede, o corpo pode dar outros sinais para alertar que a ingestão de água tem sido insuficiente, como boca seca, sudorese, pele fria e úmida, vômito, diarreia, câimbras e em casos mais graves perda da consciência.

Você sabia? 

Sempre ouvimos dizer que a quantidade recomendada de água é de, pelo menos, 2 litros por dia e, apesar de essa informação estar dentro das recomendações gerais, é necessária avaliação individual. Também se deve atentar a temperatura, atividades que a pessoa realiza e se estará exposta ao sol ou não. É importante principalmente observar o ciclo da vida em que a pessoa se encontra, pois, para cada fase da vida a necessidade hídrica será diferente. É preciso ter atenção especial à ingestão hídrica de crianças e idosos.

Atenção!

Frutas e verduras contém grande potencial adjuvante na hidratação. Como exemplo, podemos citar melancia, melão, acerola, laranja, tangerina, abacaxi, alface, tomate, repolho, dentre outros que na sua composição contém cerca de 90% de água, além de vitaminas e minerais. Vale destacar, porém, que nenhum alimento substitui a ingestão de água, ok?

E por fim, para quem tem dificuldades para ingerir a quantidade recomendada de água, algumas dicas: tenha sempre uma garrafinha de água a mão; coloque lembrete no celular, use garrafinhas com marcações de hora em hora e inclua a ingestão de água na rotina. Saborizar ou aromatizar a água é uma ótima estratégia: acrescente ervas aromáticas ou frutas cortadas à água natural, sem adição de açúcar ou qualquer tipo de conservante. Fazer cubos de gelo com pedaços de frutas dentro também é uma ótima alternativa.

#Evento: ASPEC promove no mês de outubro a IV Caminhada Rosa

No próximo dia 27 de outubro, a ASPEC (Ação Solidária às Pessoas com Câncer) promove a IV Caminhada Rosa, em Belo Horizonte. A ASPEC é uma organização da sociedade civil que, desde 2012, atende pessoas convivendo com o câncer, e que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O evento será um momento de manifesto à luta contra o câncer de mama, e contará ainda com aferição de pressão e teste de glicemia, aulão de zumba, massagem, distribuição de frutas, sorteio de brindes e outras ações.

A concentração será no Parque Juscelino Kubitschek, às 8h, e a caminhada será pela avenida Avenida Bandeirantes, em percurso de 3 km. A edição de 2018, segundo os organizadores do evento, contou com a participação de mais de mil pessoas entre participante e expectadores; e a expectativa é ainda maior para esta edição.

As inscrições e mais informações estão disponíveis neste link.

#Podcast: ‘Fiocruz no Ar’ aborda sífilis em gestantes

sifilis-em-gestante_banner_materia

Considerada como uma epidemia pelo Ministério da Saúde desde 2016, a sífilis vem avançando no Brasil. Desde 2005, quando começaram a ser coletados os dados sobre a doença, os números só fazem aumentar. Em relação às gestantes, de 2005 a 2018, foram notificados 259.217 casos, sendo que 52% das ocorrências foram em mulheres na faixa etária entre 20 e 29 anos

Médico e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Gabriel Osanan fala sobre essa IST e a importância do tratamento adequado no podcast Sífilis em gestantes: um risco para mães e bebês, do projeto Fiocruz no Ar.

Sífilis

Causada pela bactéria Treponema Pallidum, a sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) e pode ser adquirida por meio de relação sexual sem preservativo ou do contato com feridas expostas (a chamada sífilis adquirida) ou transmitida da gestante para a criança ainda no útero (a sífilis congênita). No caso das gestantes infectadas, a transmissão para o bebê pode levar a danos graves, como parto prematuro, fissura perto da boca, convulsões, surdez, dificuldade de aprendizado e até a morte. Para o tratamento da sífilis, é utilizada o antibiótico do tipo penicilina. O importante é manter o cuidado e procurar imediatamente o médico assim que surgirem os sintomas. Não é recomendado o tratamento por conta própria: um erro ou a resistência do organismo materno à penicilina pode causar sérios danos à mãe e à criança.

Fonte: Agência Fiocruz

Saúde requer cuidados com a chegada da Primavera

cold-3861935_1920

A chegada da Primavera traz consigo, além das flores, doenças e agravos típicos da estação, que surgem principalmente devido ao aumento da temperatura e da baixa umidade do ar. É sobretudo nestes próximos três meses, que a saúde de pessoas alérgicas a pó, pólen e poluição geralmente fica ainda mais sensível. O surgimento de casos de infecções respiratórias, como rinite, bronquite e asma, também é típico desta época do ano.

A prevenção ao surgimento dessas doenças se faz através de, principalmente, bons hábitos de higiene – como a lavagem frequente das mãos; da ingestão de bastante água, e evitar locais de aglomeração, mantendo o ambiente limpo e arejado com janelas abertas.

Manter os ambientes arejados, na primavera, é fundamental para evitar os desconfortáveis efeitos do pólen das flores nas vias respiratórias. A entrada de sol em lugares ventilados elimina fungos e ácaros, evitando rinites, corizas, coceira e alergias.

Vale destacar ainda que, ao retirar as roupas leves do fundo do armário, que estão sem ser usadas há um bom tempo, é recomendado lavá-las antes de usar para eliminar fungos e ácaros presentes nelas. É recomendado também suspender o uso de tapetes durante este período do ano.

Além de desencadear agravos respiratórios, o aumento de substância irritantes no ar também pode levar ao surgimento da conjuntivite, que é uma inflamação na mucosa que reveste o globo ocular e causa vermelhidão, lacrimejamento e sensibilidade à luz. O cuidado com a higienização das mãos, principalmente antes de tocar no nariz, boca e olhos, e a limpeza do ambiente são os meios de melhor prevenção.

#DeuNaMídia: Sala de vacinação contra Sarampo no aeroporto de Confins é destaque no Jornal Hoje

A instalação do posto de vacinação contra o sarampo no aeroporto de Confins, iniciativa da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)  foi destaque da edição desta quinta-feira (29) do Jornal Hoje, da TV Globo. A reportagem destacou a importância de imunizar a população aeroportuária que circula no local; bem como as pessoas que frequentam o aeroporto, uma vez que é alto o fluxo de pessoas vindas de estados brasileiros em alerta quanto à doença.

Saiba mais

Montada em parceria com a BH Airport e o município de Confins, a sala atenderá de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, no primeiro andar do Aeroporto. Devem receber a vacina contra o sarampo a população de 6 meses a 49 anos de idade.

O Sarampo é uma doença infecciosa grave, provocada por vírus, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa, podendo ser contraída por pessoas de qualquer idade. É caracterizada por febre, inflamação das mucosas do trato respiratório, erupção maculopapular generalizada seguida por descamação. A vacina é a única forma de prevenção contra a doença.

Juízes já podem acessar serviço de teleconsultoria em ações judiciais

juizes-capa

Juízes de todo o país já podem contar com um serviço de consultoria técnica à distância para auxiliá-los em ações relacionadas à saúde que aleguem urgência para decisão liminar (tutela antecipada). Uma equipe de médicos estará disponível em tempo integral, sete dias por semana, para dar suporte nesse tipo de ação, que requer decisões mais urgentes por alegarem risco de morte. As recomendações médicas, com base nas melhores evidências científicas disponíveis, ajudarão a qualificar as decisões judiciais e garantir segurança aos pacientes e demais atores envolvidos. A iniciativa é resultado de uma parceria do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Hospital Israelita Albert Einstein, firmada em 2018, e iniciada nesta semana.

As notas técnicas produzidas pelas equipes de médicos sobre os casos específicos, bem como os pareceres sobre evidências científicas de eficácia, segurança e efetividade da tecnologia serão incluídos na plataforma E-NatJus e poderão ser consultados posteriormente por magistrados e técnicos dos do Poder Judiciário, que atuem em ações judiciais semelhantes. Lançado em 2017, o E-NatJus é um sistema online que permite ao magistrado consultar, por exemplo, se o medicamento solicitado tem benefícios comprovados, ofertando mais efetividade e segurança no tratamento que o cidadão será submetido.

Fonte: Ministério da Saúde