Author Archives: Redação Blog da Saúde MG

ESP completa 75 anos atuando na educação sanitária em Minas Gerais

AutorJean Alves

Hoje, dia 11 de junho, é celebrado o dia do Educador Sanitário no Brasil. O papel do educador sanitário surge na década de 1920, num contexto de epidemias, pouco acesso a moradia, saneamento e até a alimentação. As educadoras sanitárias, pois eram na maioria mulheres, atuavam na orientação da população sobre as práticas para cuidado à saúde e controle de doenças. Duas décadas depois, em 03 de junho de 1946, é inaugurada a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), com o objetivo de formar profissionais sanitaristas para o cuidado à saúde da população mineira.

A instituição foi a primeira em nível estadual do país e surge num cenário de enfrentamento a surtos de esquistossomose e ancilostomose (amarelão). A primeira turma do curso de Saúde Pública, data de 1947. Nos anos iniciais de atuação, a ESP formou várias turmas do curso de Visitadoras Sanitárias, estas profissionais atuavam na educação em saúde da população, orientando para os mais diversos cuidados. Desde então, a escola tem uma longa tradição na formação de sanitaristas, englobando as diversas áreas que surgiram na saúde ao passar dos anos.

11-06_arquivo-ESP

Visitadora Sanitária da ESP-MG – Arquivo ASCOM/ESP

Nas últimas décadas, a saúde pública tornou-se mais abrangente, novas áreas e formações profissionais foram surgindo, à mesma medida em que as necessidades da população mudavam e a transição epidemiológica transformava o cenário de doenças. Hoje, não existe mais o curso de Educador Sanitário ou de Visitadora Sanitária, mas um grande número de profissionais, além dos sanitaristas (Especialistas em Saúde Pública), desempenha o papel de educador sanitário, orientando e assistindo a população.

Com a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) em 1988, programas mais abrangentes como o Saúde da Família (1994), hoje denominado estratégia (ESF), surgiram. O Agente Comunitário de Saúde (ACS), atuante na ESF, visita todo mês a casa de toda a população cadastrada, além dele, o Agente de Combate a Endemias, pela Vigilância em Saúde, também. Estes profissionais informam e orientam a população sobre cuidados e prevenção de doenças. Somam-se a eles um vasto leque de profissionais, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, farmacêuticos, educadores físicos, fisioterapeutas, assistentes sociais, dentistas, técnicos em enfermagem, saúde bucal, dentre outros, que atuantes no sistema público, seja em visitas domiciliares ou no acolhimento e assistência nas unidades de saúde, desempenham este papel.

A qualificação destes profissionais é fundamental para a assistência à saúde da população. O SUS é um sistema universal que atende milhões de pessoas diariamente, nas mais diversas áreas e níveis de atenção. Em seus 75 anos de atuação, a ESP-MG concentrou esforços na formação para a Saúde Pública, englobando as mais diversas áreas e atividades para uma educação sanitária abrangente.

A lista de formação da Escola inclui, além da especialização em saúde pública, a qualificação de trabalhadores da saúde da saúde mental, gestão e assistência hospitalar, atenção primária, agentes comunitários de saúde, agentes de combate a endemias, técnicos em saúde bucal, enfermagem, vigilância e hemoterapia, trabalhadores do sistema prisional, conselheiros de saúde, comunicadores, agentes do direito sanitário e outras. Atualmente, em diferentes níveis, todas estas formações possibilitam que estes profissionais atuem como educadores sanitários.

Neste dia, é importante destacar o papel formador da ESP-MG na educação sanitária do estado, como integrante do Sistema Estadual de Saúde (SES, FUNED, FHEMIG e HEMOMINAS). A qualificação de profissionais de saúde possibilita a manutenção das políticas públicas de saúde no estado e no SUS. Para implantar programas e ações, informar e orientar a população em suas mais diversas necessidades de saúde, os trabalhadores devem estar inseridos em processos de educação permanente, que possibilitem a assistência e educação sanitária de qualidade para todos.

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade?

Autor: João Rafael Assis Alderete e Vitor Yukio Ninomiya

Sem título

5 de Dezembro: Dia do Médico de Família e Comunidade

A Medicina de Família e Comunidade (MFC) é a especialidade médica focada em trabalhar na Atenção Básica (ou Primária), que é o nível de atenção à saúde mais acessível à população, e caracterizado por uma “densidade tecnológica” relativamente baixa (ou seja, a Atenção Básica não necessita dos aparelhos mais modernos disponíveis, pois foca em outras questões).

Estima-se que até 90% das demandas em saúde podem ser resolvidas por médicas ou médicos de família e comunidade dentro da Atenção Primária à Saúde  sem necessitar de encaminhamento a outros serviços! Para entender mais sobre esses profissionais, continue lendo o texto!

Você sabia? 

Grande parte dos atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) podem ser muito bem resolvidos em Unidades Básicas de Saúde (UBS).


COMO É A ATUAÇÃO DO MFC?

A MFC atende pessoas em todas as etapas do ciclo de vida, desde recém nascidos, acompanhando crianças, adultos, gestantes e os idosos! Além disso, também atende demandas gerais de saúde, recebendo demandas diversas e de qualquer parte do corpo!

Por causa disso, essa especialidade é muito capacitada para cuidar de condições de saúde mais comuns e que têm mais impacto para a população. Também presta assistência aos estágios iniciais de qualquer condição de saúde e é mantido o acompanhamento mesmo após um possível encaminhamento a outra especialidade, se necessário.

Outra parte central da Medicina de Família e Comunidade é o grande destaque às medidas de prevenção de doenças e na promoção da melhoria na qualidade de vida. Nesse sentido, o estímulo aos hábitos de vida saudáveis e os exames de rastreio são ferramentas importantíssimas para essa especialidade.

Você sabia? 

Os países com os melhores índices na saúde da população são aqueles que mais se conscientizam e mais investem em prevenção. Melhores investimentos na prevenção, além de serem favoráveis à qualidade de vida, também acabam reduzindo os gastos totais futuros.


POR QUE O NOME “MÉDICO DE FAMÍLIA E COMUNIDADE”?

A MFC busca enxergar a pessoa como um todo, compreendendo o impacto que as questões sociais têm sobre a saúde ou a doença: não são especialistas em doenças ou órgãos, e sim em pessoas, suas famílias e suas comunidades.

Como consequência disso, a atuação da médica ou médico de família e comunidade não fica restrita ao consultório. As visitas domiciliares e atividades com a comunidade são parte da rotina dessa especialidade!

Muitas vezes, o conhecimento do contexto familiar e social e o entendimento da pessoa para além da doença permite decisões clínicas personalizadas, que por isso são mais efetivas.


EXISTE DIFERENÇA ENTRE “MFC” E MÉDICO GENERALISTA?

No Brasil, chamamos de médico generalista quem fez os 6 anos da faculdade de Medicina, mas que não fez nenhuma residência ou especialização após isso. Já para exercer a Medicina de Família e Comunidade, o médico ou médica precisa, após a faculdade, fazer uma residência (continuação dos estudos médicos) por mais 2 anos ou uma prova de especialização.

Durante essa formação mais profunda, o médico ou médica de família e comunidade se especializa em usar as ferramentas disponíveis na Atenção Primária à Saúdee adquire conhecimentos e habilidades que tornam sua atuação mais eficaz.


QUAL A IMPORTÂNCIA DO MFC PARA O SISTEMA DE SAÚDE?

Por estar próxima à população e conseguir resolver a maior parte das necessidades em saúde usando relativamente menos recursos, essa especialidade evita “filas” para outros serviços de saúde e reduz gastos desnecessários.

Devido a essa importância, foi lançada em 2002 a Estratégia de Saúde da Família, que organiza o SUS a partir da Atenção Primária à Saúde  e define a equipe de saúde da família, composta, entre outros profissionais, por médicas(os) de família e comunidade.

Referências:

  1. Campos, CEA. Os princípios da Medicina de Família e Comunidade. Revista APS, v.8, n.2, p. 181-190, jul./dez. 2005
  2. SBMFC. Quem é o médico de família e comunidade? Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HZuU8xbNGNA

Acidentes com animais peçonhentos: previna-se!

Os acidentes com animais peçonhentos são mais frequentes do que se imagina. Com as chuvas e a forte onda de calor nos últimos dias, acidentes com animais peçonhentos também acabam aumentando. Escorpiões, cobras, abelhas, vespas, lacraias e aranhas procuram lugares secos para se abrigarem, podendo ser encontrados nas proximidades das casas, jardins e parques, tanto em áreas urbanas, quanto rurais. Porém, apesar do risco, é possível se prevenir com medidas simples; fique ligado(a):

  • Ao andar ou trabalhar em regiões de mato alto, use calçados fechados, de preferência de cano alto;
  • Use luvas grossas para manipular folhas secas, lixo, lenha, palhas, etc;
  • Não coloque as mãos em buracos, sob pedras e em troncos podres, e tome cuidado ao revirar cupinzeiros;
  • Mantenha jardins e quintais limpos, evitando acúmulo de lixo e entulho;
  • Em casa, mantenha fechados ralos, frestas, buracos e soleiras de portas e janelas;
  • Afaste camas e berços das paredes, e evite que roupas de cama e mosquiteiros encostem no chão;
  • Verifique roupas e sapatos antes de usá-los.
E se mesmo com todas essas precauções, você ou alguém próximo for vítima de um acidente com animal peçonhento, é importante manter a calma e saber o que fazer e o que NÃO fazer, veja só:
O que fazer:
. Lave o local da picada com água e sabão, e mantenha o acidentado hidratado e deitado, com o local da picada elevado em relação ao corpo
. Leva a vítima ao serviço de saúde mais próximo.

O que não fazer:
. Não amarre o membro acidentado, isso impede a circulação do sangue e pode causar gangrena ou necrose local;
. Não corte o local da picada: alguns venenos podem provocar hemorragias;
. Não aplique folhas, pó de café ou terra sobre a ferida, pois pode provocar infecção.

Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física

4482360

Segundo dados do IGBE, no Brasil, são 12,5 milhões de pessoas com deficiência, o que corresponde a 6,7% da população. Por isso, neste 11 de outubro, Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, reforça a importância de políticas públicas eficientes, que garantam os direitos, a inclusão e a valorização dessas pessoas em todas as esferas da sociedade.

Na SES-MG, a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência (RCPD) é responsável por garantir a integralidade do cuidado e o acesso regulado aos serviços de saúde. Criada em 2012, por meio da por meio da Deliberação CIB-SUS/MG n° 1.272, a área ampliou e articulou pontos de atenção à saúde para pessoas com deficiência no âmbito SUS-MG. Os serviços de reabilitação são executados em unidades especializadas de abrangência regional, qualificadas para atender às pessoas com deficiência. As equipes são formadas por profissionais como médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e enfermeiros, que fazem o trabalho de avaliação individual dos pacientes e também acompanham todo o processo de reabilitação.

A RCPD possui quatro oficinas ortopédicas fixas, habilitadas pelo Ministério da Saúde. Localizadas nos municípios de Belo Horizonte, Diamantina, Nova Lima e Uberlândia, os serviços fazem a confecção, dispensação, adaptação e de manutenção de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM). Há também o serviço da oficina ortopédica itinerante terrestre, vinculada ao CER IV de Diamantina. Composta por um caminhão adaptado especialmente para esse fim, a unidade se desloca juntamente com uma equipe composta por um fisioterapeuta, técnicos de órtese prótese e sapateiro, para locais sem acesso à oficina ortopédica fixa, objetivando melhorar o acesso e qualificar a assistência à saúde dos usuários com deficiência física.

Outra importante assistência são os Serviços de Atenção à Pessoa Ostomizada (SASPO), que desenvolvem ações de reabilitação que incluem as orientações para o autocuidado, a prevenção, o tratamento de complicações no estoma, a capacitação de profissionais e o fornecimento de equipamentos coletores e de proteção e segurança (bolsas coletoras, barreiras protetoras de pele sintética, coletor urinário). Atualmente existem 52 serviços localizados em 51 municípios no Estado.

A coordenadora de Atenção à Saúde da Pessoa Com Deficiência- CASPD, Renata Cardoso Vaz ressalta que todos esses avanços foram importantes, mas o trabalho tem que continuar. “Ainda que tenhamos avançado, faz-se necessário diminuir as barreiras, tanto físicas quanto sociais, de forma a garantir a plena inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. O envolvimento da família, a educação em saúde, a garantia de acesso e a diminuição dos preconceitos são elementos importantes para o avanço da inclusão”, reforçou.

A porta de entrada dos usuários são as unidades básicas de saúde (UBS), onde é realizada a avaliação inicial, vinculação à equipe de saúde da família (ESF) e encaminhamento aos demais serviços de atenção especializada, quando necessário. Mais informações estão disponíveis no link www.saude.mg.gov.br/deficientefisico.

Exemplo de superação

Os desafios para superar as dificuldades, diferenças e o preconceito sempre fizeram parte da vida de pessoas com deficiência. Para o atleta mineiro e paraolímpico de tênis de mesa, Carlo de Franco Michel, mais conhecido como Carluxo, a batalha é desde que nasceu. Com 50 anos de idade, ele é portador da artrogripose múltipla, doença congênita que limita os movimentos das articulações. Sua primeira cirurgia foi aos 15 dias de nascido e, a partir daí, foi submetido a mais 52 procedimentos no decorrer da vida. O atleta buscou, através da superação, se tornar um campeão nas quadras e na luta contra suas limitações físicas. “Quando eu era adolescente sofri muito preconceito. A sociedade já te olha diferente, mas o esporte me deu muita autoestima, me ensinou a entender quem eu sou, a não me vitimizar e nunca esperar dos outros o que eu tenho que fazer por mim”, afirmou.

Acervo Pessoal

Acervo Pessoal

O atleta paraolímpico chegou a ser um dos cinco melhores do mundo em sua modalidade e garante que, para vencer foi preciso apenas uma coisa. “A vida é isso, sair do seu lugar e ir atrás dos seus sonhos. A sociedade acha que a pessoa com deficiência não tem condições, mas cabe a nós mostrar que isso não é verdade. Somos capazes e temos condições de alcançar nossos objetivos”.

Reabertura de academias: orientações para voltar a malhar em segurança!

photography-purple-train-color-training-studio-764110-pxhere.com

Já voltou ou está se programando para voltar a frequentar a academia? Saiba quais são os cuidados que você deve observar para preservar a sua saúde:

1. Use máscara durante todo o período de treino;
2. Evite o período de pico da academia e se programe para treinar em horários alternativos;
3. Verifique as condições de limpeza e ventilação do ambiente, bem como a disponibilização de álcool gel e uso de máscaras pelos funcionários;
4. Preserve distância mínima de 2 metros entre outros usuários de equipamentos. Em caso de aulas ou exercícios aeróbicos, o recomendado são 3 metros de distância;
5. Equipamentos e acessórios, como colchonetes, halteres e barras, devem ser higienizados após cada utilização;
6. Não utilize saunas ou áreas de convivência da academia, a fim de evitar aglomerações.

Tem um amigo ou grupo que frequenta academia com você? Compartilhe esse post!

EXPOSIÇÃO SOLAR: ENTRE RISCOS E BENEFÍCIOS, PRUDÊNCIA!

Tendo em vista o aumento da temperatura nos últimos dias, fica quase impossível não bater aquela vontade de ir ao parque, à praia ou à piscina, não é mesmo?
Você já deve ter ouvido falar que tomar sol faz bem pra saúde. Mas sabe quais são seus benefícios e como fazer isso de forma correta?
Continue lendo nosso post para saber mais sobre o tema!

-piscina_176420-3933

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA EXPOSIÇÃO SOLAR?

Um dos principais e mais comentados benefícios da exposição ao Sol é a produção de vitamina D, que auxilia o nosso organismo no funcionamento do sistema imune. Porém, é importante lembrar que para que essa medida seja eficaz, é necessário aliar o Sol à uma boa alimentação.
A exposição solar também ajuda a reduzir as chances de desenvolver doenças como a depressão, já que os raios solares atuam na produção de endorfina, um dos hormônios responsáveis pela sensação de prazer.
Além disso, a exposição adequada à luz do Sol também ajuda a regular o ciclo do sono, contribuindo na redução dos episódios de insônia.

proteção solar

SAIBA QUAIS SÃO AS RECOMENDAÇÕES SOBRE O FILTRO SOLAR!

Sabendo dos benefícios da exposição solar, devemos ter em mente os cuidados necessários para que essa prática não traga malefícios à saúde. Um desses cuidados é o uso diário e correto do protetor solar.

Mesmo que você seja exposto à luz solar por um curto período de tempo, é necessário se prevenir com um produto que apresente fator de proteção solar (FPS) de, no mínimo, 30. Procure por um protetor solar com boa cobertura contra os raios ultravioletas (UVA e UVB), sempre conferindo o rótulo do produto. Procure um dermatologista para receber orientações mais adequadas sobre qual o melhor cuidado específico para a sua pele. 

O protetor solar deve ser aplicado na quantidade correta (uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo), de forma uniforme para que toda a pele seja protegida. Reaplique a cada duas horas e, também, quando houver muita transpiração.

Prefira ficar em áreas com sombra e lembre-se de manter-se sempre hidratado. Sempre que possível, use chapéus e óculos escuros (com a devida proteção), pois também são ótimos aliados na proteção.

Lembre-se de utilizar o protetor mesmo quando o dia estiver nublado, já que, mesmo nesses dias, a radiação UV chega até nós. 

 

SE A EXPOSIÇÃO SOLAR FAZ BEM PARA A SAÚDE, POR QUE DEVO TOMAR CUIDADO?

Tomar sol traz inúmeros benefícios para a saúde, como já citado. Mas o excesso, aliado à falta de cuidados (não passar protetor solar, expor-se ao sol em horários inadequados e por muito tempo, não se hidratar) pode trazer consequências muito graves à saúde.

Uma dessas consequências é o câncer de pele, sendo que este câncer representa cerca de 30% dos tumores malignos registrados no Brasil. Inclusive, vale ressaltar que é importante buscar ajuda médica caso você perceba sinais do aparecimento da doença, tais como: surgimento de manchas na pele, alterações da forma e coloração de manchas já existentes, ardência, entre outros.

É importante lembrar, também, que quanto maior o tempo e a intensidade da exposição solar, maiores são as chances de desenvolver algum tipo de doença na pele, visto que isso é algo cumulativo e por isso os riscos aumentam com o passar da idade. Além disso, pessoas com a pele clara e/ou com histórico de câncer de pele na família possuem maiores chances de desenvolverem essa comorbidade.

Sendo assim, tomar sol faz bem, desde que isso seja feito com prudência. Por isso, siga as recomendações de como fazer isso de forma adequada:

  • procure expor-se à luz solar antes das 10 horas da manhã e/ou após às 16 horas;
  • mantenha-se hidratado;
  • utilize filtro solar;
  • proteja-se com chapéu e óculos escuro;
  • use roupas leves;

LEMBRE-SE: AINDA ESTAMOS NO MEIO DA PANDEMIA DE COVID-19!

É importante estarmos conscientes de que ainda estamos enfrentando uma pandemia de covid-19! Por isso, lembre-se que, além dos cuidados com a pele, precisamos nos cuidar e nos prevenir amplamente. Ao sair de casa, continue utilizando máscara, mantenha o hábito da higienização das mãos e respeite o distanciamento físico de pelo menos dois metros entre as pessoas.

Cuidar da nossa saúde fazendo atividades prazerosas é necessário e deve ser feito de forma segura, com os cuidados adequados. Assim, cuidamos de nós mesmos e dos outros!

Agora que você já sabe sobre os benefícios e cuidados sobre a exposição solar, é hora de fazer isso com prudência! Para que um dia de sol seja prazeroso na praia, no parque ou na piscina, lembre-se sempre de respeitar as recomendações acima!

 

Referências:

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

A importância da hidratação nesse clima quente e seco

Temos visto diversas notícias de que teremos recordes de temperatura nos próximos dias. Aliado a isso, o clima está bastante seco, o que agrava ainda mais os quadros respiratórios e traz o risco de desidratação. Então, diante de um tempo quente e seco, qual a importância da hidratação?

Bem, ela é essencial – não é à-toa que todos os médicos recomendem que a gente beba vários litros de água diariamente. Com o calor e a baixa umidade do ar, essa necessidade pode ser ainda maior. Quer saber por que a hidratação protege o nosso corpo? Ficou interessado em tomar a quantidade certa de água? Confira o nosso post!

Qual a importância da hidratação para o nosso corpo?

Nosso organismo é composto por cerca de 70% de água. Ela está dentro de todas as nossas células, no sangue, no cérebro, entre as articulações.. Nosso organismo usa a água para funções como:

  • auxiliar nas reações químicas que produzem energia para as células;
  • lubrificar nossa boca, a garganta e todas as demais partes do sistema respiratório;
  • produzir saliva e secreções para ajudar na condução e digestão dos alimentos;
  • manter a temperatura do nosso corpo estável;
  • permitir a circulação adequada do sangue.

Essa são apenas algumas das centenas de funções da água no organismo.

Por que se hidratar durante o clima quente?

Nosso corpo precisa manter uma temperatura estável, que deve ficar por volta de 35,5 a 37,5°C medidos nas axilas. Caso contrário, várias reações importantes começam a falhar. Quando atingimos temperaturas acima de 39º a 40º, ocorre, inclusive, risco significativo de morte devido à hipertermia – esse é o nome que os médicos dão para temperaturas corporais elevadas.
Quando o calor chega com os termômetros acima de 30ºC, nosso organismo tem dificuldade em manter a faixa de temperatura saudável. Então, usa mecanismos para se resfriar, como o suor. Com isso, ele libera muito mais água do que o normal e, consequente, a desidratação ocorre com mais facilidade.

E no clima seco?

Lembra que falamos que a água atua na lubrificação do sistema respiratório, do aparelho digestivo e da pele? Quando o tempo está seco é como se o ar roubasse a umidade do corpo de forma que ele se resseque mais rapidamente. Por esse motivo, beber água é muito importante para repor a hidratação perdida.

Qual a quantidade certa de água que devemos beber? Com qual frequência?

A gente sempre ouve que devemos beber dois litros de água todos os dias. Então, primeiro precisamos desmitificar essa ideia: a quantidade de água não é fixa para todo mundo. Ela depende especialmente do peso do indivíduo, do sexo e da idade. De forma geral, os adultos precisam de 35 ml por cada quilo de peso. Então, é preciso levar isso em consideração na hora de planejar a quantidade de água (aqui, não vale tomar outros líquidos) a ingerir durante o dia.

Portanto, a hidratação é essencial nesse clima quente e seco e vai ajudar nosso organismo a repor todo a água que falta para funcionar bem. Os benefícios são enormes e fundamentais para uma vida saudável.

Quer saber melhor sobre como cuidar da saúde? Confira as nossas redes sociais!

SES-MG realiza seleção interna para contratar médicos para função de Autoridade Sanitária na área de Regulação da Assistência à Saúde

Os profissionais atuarão nas Centrais de Regulação do estado

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lançou hoje, 27-08, três editais para contratação de médicos plantonistas de regulação. Os editais oferecem ao todo 42 vagas para designação imediata e, também, disponibiliza cadastro de reserva. As inscrições começam no dia 31/08/2020 e vão até o dia 08/09/2020. As remunerações podem chegar a 8 mil reais para 40 h e 6,8 mil para plantões de 24h.

Os profissionais poderão atuar no Nível Central da SES ou em uma das Centrais Macrorregional de Regulação Assistencial do estado que estão localizadas em Belo Horizonte, Alfenas, Barbacena, Divinópolis, Ipatinga, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Patos de Minas, Ponte Nova, Teófilo Otoni, Uberaba e Uberlândia.

A subsecretária de Regulação do Acesso à Serviços e Insumos de Saúde da SES-MG, Juliana Ávila Teixeira, explica que o Sistema Estadual de Regulação é integrado por 13 centrais de regulação que funcionam 24 horas por dia, sete dias na semana. Segundo a subsecretária, nas centrais é realizada a regulação de vagas para internações no Estado de Minas Gerais, por exemplo. Nestas unidades atuam o médico coordenador estadual, o médico coordenador de central de regulação, bem como médicos especialistas. Os editais que estão abertos contemplam as três especialidades.

Mais informações sobre o quadro de vagas e a remuneração, estão disponíveis no edital do Processo Seletivo https://www.saude.mg.gov.br/processoseletivo.

“A expectativa é que o edital selecione profissionais para atuarem na regulação estadual, fortalecendo a gestão do acesso aos serviços públicos de saúde no SUS. Com a seleção, buscamos qualificar os processos regulatórios, organizar o acesso da população aos serviços de saúde, integrar as diversas Centrais de Regulação em um modelo cooperativo. Além disso, também possibilitamos aprimorar o acompanhamento e a avaliação de atividades”, explica Juliana Ávila.

A inscrição é gratuita e deve ser realizada no site https://www.saude.mg.gov.br/processoseletivo. Os interessados devem preencher um formulário eletrônico com as informações pessoais e os dados curriculares e, em seguida, anexar a documentação que comprova os requisitos exigidos, a experiência profissional e os títulos acadêmicos.

Segundo o Superintendente de Gestão de Pessoas, Sandro Alves Bustamante, para concorrer às vagas, os interessados devem já ocupar cargo de provimento efetivo ou função pública em órgão ou entidade integrante do Sistema Estadual de Gestão da Saúde ou ser ocupante de cargo, municipal, estadual ou federal, no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Também é necessário, evidentemente, ter formação em Medicina com registro ativo no Conselho Regional de Medicina (CRM). Possuir tempo mínimo de dez meses de efetivo exercício no serviço público em órgão ou entidade municipal, estadual ou federal integrante do SUS e possuir conhecimentos básicos de informática”, explica Sandro Bustamante.

Etapas do concurso

O Processo de Seleção Interna será composto de duas etapas. Na primeira, será realizado a análise de documentação curricular, comprovação de experiência profissional e títulos acadêmicos. A segunda etapa será composta por entrevistas realizada com os primeiros colocados da primeira fase.

Os candidatos serão convocados para a entrevista com antecedência mínima de dois dias úteis por meio do endereço eletrônico informado na inscrição. O resultado de todas as fases também será publicado no site da SES-MG no link https://www.saude.mg.gov.br/processoseletivo.

Mais detalhes sobre o concursos estão disponíveis no Edital, que pode ser acessado no link https://www.saude.mg.gov.br/processoseletivo.

Mais informações sobre o Processo Seletivo Simplificado também podem ser solicitadas através do e-mail processoseletivo@saude.mg.gov.br.

Por Divulgação SES-MG

#Palestra: Negociação e Administração de Conflitos em Tempo de Pandemia

A Superintendência de Gestão de Pessoas, por meio da Diretoria de Gestão Estratégica de Recursos Humanos, realizará no dia 21/08/2020, de 15:30 às 17h, a Palestra “Negociação e Administração de Conflitos em Tempo de Pandemia”. Esse evento é uma ação de Qualidade de Vida, cujo objetivo é promover a reflexão e estimular boas práticas de gestão de conflitos em tempos de teletrabalho devido à pandemia de Covid-19.

A palestrante será a Dra. Nazareth Ribeiro, Doutora em Business e Administração pela Esc Rennes; Psicóloga Especialista em Cognição e Comportamento; Professora dos MBAs da FGV de Negociação e Administração de Conflitos, Marketing e Desenvolvimento de Carreira e Coordenadora dos Voluntários do Projeto Saúde Digital MG.

As inscrições podem ser realizadas neste link.

 

Projeto Medicamento em Casa completa 2 meses em Uberlândia

por Lilian Cunha

“Bão demais, sô!”, essa foi a reação espontânea de felicidade da paciente Adenige Sousa Ribeiro para definir como se sentiu ao receber em casa o medicamento dela. A idosa conta que todos os meses gastava uma manhã inteira para retirar o medicamento na Farmácia de Minas, em Uberlândia: “Tinha que pegar dois ônibus para ir e dois para voltar e ainda aguardar minha vez para ser atendida”, explicou a paciente.

Essa é apenas uma expressão emocionada de uma pessoa no universo de dois mil pacientes para serem beneficiados pelo projeto em Uberlândia. “Não conseguimos mensurar pelos inúmeros relatos da equipe envolvida o quão gratificante que é fazer a diferença na vida dessas pessoas, principalmente nesse momento de pandemia”, completou o superintende regional de saúde de Uberlândia Marcelo José Pires Ferreira. Em dois meses, foram realizadas 1.798 entregas e percorridos 5.807 quilômetros, desde que iniciou, em 14/5 deste ano.

Diariamente, a Farmácia de Minas em Uberlândia atendia, presencialmente, 350 usuários. Em dois meses, o projeto já impactou significativamente na redução do fluxo de pacientes. “Gostaríamos de agradecer às pessoas que estão aderindo ao Medicamentos em Casa como também todos os envolvidos no processo”, destacou Sissi Ribeiro, farmacêutica e coordenara do Medicamento em Casa da Regional de Saúde de Uberlândia.

Além do Medicamento em Casa e adoção das medidas sanitárias preconizadas pelo Ministério da Saúde, diversas estratégias estão sendo adotadas para evitar aglomerações na Farmácia de Minas, são elas: aumento da dispensa por mais tempo; entrega dos medicamentos aos pacientes que fazem tratamento pelas clínicas de hemodiálise; pacientes do grupo de risco podem preencher a declaração autorizadora para um terceiro retirar a medicação e sendo imprescindível que o paciente compareça somente no dia do agendamento do recibo, pois a capacidade de atendimento é distribuída de forma sistematizada ao longo dos dias úteis do mês.

Medicamentos em Casa

O projeto Medicamento em Casa é uma parceria com o aplicativo de mobilidade urbana 99 e envolve a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e a Defesa Civil, que em Uberlândia, também conta com o apoio da Polícia Militar.

Os pacientes contemplados recebem uma ligação na véspera do atendimento agendado, para informar sobre a entrega. Por isso é importante que o cadastro esteja atualizado, e pode ser feito pelos canais de atendimento do Whatsapp (31) 98282-4324 e e-mail medicamentoemcasa@saude.mg.gov.br – informando nome completo, CPF, telefone e endereço completo. Caso não recebam o contato prévio, os pacientes devem comparecer normalmente na sede da Farmácia de Minas.

Além de Uberlândia, o Projeto está contemplando pacientes em Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Juiz de Fora, Pouso Alegre e Teófilo Otoni.

Funed realiza exposição fotográfica virtual “Foco na Cobra”

Por Priscilla Fujiwara / ACS Funed

Serpente-olho-de-gato-anelada

Um dos passeios mais tradicionais e curiosos em Belo Horizonte, é a visita ao Serpentário da Fundação Ezequiel Dias (Funed). O espaço atrai estudantes e pesquisadores, que veem de perto diversas espécies, como de jiboia, cascavel, falsa coral e jararacas e aprendem sobre os seus hábitos, histórias e particularidades.

Com as vistas ao público suspensas – devido às medidas de prevenção durante o período de pandemia causado pelo novo coronavírus, os servidores do Serpentário e fotógrafos Rafael Batista e Leo Noronha fizeram uma curadoria de seu acervo de imagens das cobras do Serpentário, que estarão na exposição virtual “Foco na Cobra”.

A mostra foi idealizada pela equipe do Serpentário para celebrar o Dia Mundial da Cobra, 16 de julho, data criada para combater os mitos em torno do animal, promover a sua preservação e, principalmente, destacar a sua importância para o meio ambiente. No Serviço de Animais Peçonhentos hoje, têm 200 cobras e na exposição são 29. Foram selecionadas fotos de espécies de cobras que menos chegam na Funed, como é o caso Suaçuboia (Corallus hortulana).

Também estão na mostra, cobras da exposição permanente que são populares entre os visitantes, como é o caso da jiboia mascote da Funed, Jiboned. “Quem não se lembra da Jiboned? A cobra encontrada na Praça Raul Soares que teve o seu nome escolhido pela população”, comentou o chefe do Serviço de Animais Peçonhentos da Fundação, Rômulo de Toledo.

A exposição começa a partir do dia 13/7, nas redes sociais da Funed. Durante esta semana, todos os dias novas fotos com um olhar único, científico e atento dos fotógrafos serão apresentados ao público. Ao final, o acervo da exposição será disponibilizado no site da instituição.

Confira neste link a galeria com as fotos da exposição que serão atualizadas diariamente ao longo da semana.

Popularização da Ciência

Além da exposição fotográfica virtual, em alusão ao Dia da Cobra, a Funed irá “ocupar virtualmente” o Museu MM Gerdau. No dia 23 de julho, a chefe do Serviço de Coleção Científica e Popularização da Ciência, Giselle Cota, irá apresentar em um vídeo esclarecedor sobre a importância das serpentes para o ecossistema, o histórico de trabalhos realizados pela Funed, além de apresentar a relevância de uma coleção científica para a sociedade e para a preservação das espécies.

A equipe do programa Ciência em Movimento também irá ensinar em um tutorial lúdico e divertido como transformar canudos em uma cobrinha. Todo material poderá ser acessado nos canais do Youtube do Museu MM Gerdau e da Funed.

Serpentário 

O serpentário da Funed é um espaço de assombro e deslumbramento. Ele oferece ao visitante uma visão única sobre esses animais que, ao longo da história, sempre causaram medo e fascínio. Além do espaço reservado para os pesquisadores visitantes e curiosos, a Fundação mantém também um criatório, para pesquisa e extração de veneno.

Nos últimos cinco anos o Serviço de Animais Peçonhentos (SAP), que é responsável pela coordenação do Serpentário, atendeu em torno de 250 instituições e ministrou palestra sobre biologia e comportamento de serpentes, aranhas e escorpiões; prevenção de acidentes com animais peçonhentos, primeiros socorros e produção de soro para mais de oito mil pessoas.

As visitas e o atendimento estão suspensos, porém o público pode conhecer o Serpentário e aprender um pouco mais sobre o universo das cobras na visita em 360º produzida pelo projeto Minas faz Ciência da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

Serviço: 

Exposição Virtual Fotográfica “Foco na Cobra”

Data: a partir do dia 13/7 ao dia 17/7, com atualizações diárias

Local:  rede sociais e site da Funed