Author Archives: Ricarda Caiafa

DIA MUNDIAL DE COMBATE À LER/DORT

O Dia Mundial de Combate às Lesões por Esforços Repetitivos ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho – LER/DORT, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e celebrado anualmente no dia 28 de fevereiro, tem como objetivo alertar a população e chamar a atenção das autoridades sobre a adoção de cuidados e medidas preventivas contra lesões associadas à repetição de movimentos.

O que é LER/DORT?

As lesões por esforços repetitivos contemplam diversas doenças causadas pela realização de atividades contínuas e repetitivas, responsáveis pela alteração de tendões, articulações, músculos e nervos, dentre as quais as mais conhecidas são a tendinite, a tenossinovite e a bursite.

ler_feed_01

Quando causadas por movimentos repetitivos durante a execução de um trabalho são chamadas de DORT, que se refere aos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho, e são consideradas por normas técnicas como síndromes clínicas, caracterizadas por dor crônica no pescoço, ombro e/ou braços, podendo também acometer os quadris e as pernas, devido ao esforço laboral.

Comportamentos geradores

Na maioria das vezes, as doenças são provocadas por atividades relacionadas à organização do trabalho, como a repetição de movimentos, postura inadequada, fatores psicológicos e sobrecarga física.

Principais sintomas

Os sinais e sintomas de LER/DORT são múltiplos e diversificados, podendo-se destacar:

• A dor como primeiro sinal;
• Alterações como formigamento e dormência, sensação de diminuição, perda ou aumento de sensibilidade, fraqueza para segurar objetos, desconforto, fadiga, inchaço, enrijecimento muscular, choques, agulhadas ou peso nos membros, aumento ou redução da temperatura;
• Dificuldade de movimento para uso dos braços, especialmente das mãos, podendo ocorrer sinais como inchaço, vermelhidão, e dor, além áreas com redução de volume.

Estes sinais e sintomas são de evolução lenta e insidiosa, o que leva muitos trabalhadores a procurar auxílio de um profissional especializado muito tardiamente. Daí a necessidade do trabalhador, ao primeiro sintoma, procurar a assistência médica.

O início dos sintomas é insidioso, com predominância nos finais da jornada de trabalho ou durante os picos de produção, ocorrendo alívio com o repouso à noite e nos fins de semana. Aos poucos, os sintomas tornam-se presentes por mais tempo durante a jornada de trabalho e, às vezes, passam a estar presentes durantes as noites e finais de semana.

Em geral, o alerta só ocorre para o paciente quando os sintomas passam a existir durante a realização de esforços mínimos, comprometendo a capacidade, seja no trabalho ou em casa.

Medidas de prevenção

As medidas de prevenção das LER/DORT englobam correções do ambiente de trabalho, adoção de medidas preventivas e de novas formas e ferramentas de trabalho por parte da empresa bem como as ações individuais por parte dos trabalhadores. Para isso, destaca-se algumas dicas importantes para evitar essas condições:

• Manter sempre uma postura apropriada durante o horário de trabalho, com as costas eretas, seja em pé ou bem apoiadas no encosto da cadeira quando assentado.
• Fazer pausas e alongamentos a cada 60 minutos.
• Respeitar os limites do corpo.
• Utilizar apoios ergonômicos para os punhos e pés durante a utilização do computador.
• Manter o monitor na altura dos olhos para evitar a sobrecarga no pescoço.
• Utilizar cintas e outros acessórios de proteção fornecidos pela empresa ao executar tarefas que exigem força física.
• Praticar exercícios físicos regularmente.
• Manter um estilo de vida saudável, com uma boa qualidade de sono, boa alimentação, condicionamento físico e manutenção da saúde em geral.

Tratamento

Quanto mais precoce o diagnóstico e o início do tratamento adequado, maiores as possibilidades de êxito. No entanto, geralmente o diagnóstico é difícil e o primeiro passo para um tratamento adequado é entender e determinar a causa dos sintomas, que podem variar de uma pessoa para outra. Muitas vezes é preciso recorrer a uma avaliação multidisciplinar para identificar corretamente a situação.

Grande parte das pessoas, no entanto, procuram ajuda profissional apenas quando estão em uma crise, optando pelo uso de anti-inflamatórios e repouso. A demora em tratar do problema pode trazer um problema ainda maior, exigindo, em alguns casos, fisioterapia e cirurgia.

Neste sentido, a prevenção é a melhor forma de tratar e combater a LER/DORT. Para isso, além do tratamento multiprofissional, empresas de todos os segmentos devem procurar aplicar ações de controle dos fatores desencadeantes e agravantes, a fim de preservar e equilibrar os colaboradores e as condições de trabalho, garantindo um ambiente mais seguro. Se não ocorrer mudanças nas condições de trabalho, há grandes chances de piora progressiva da doença.

Para a realização de um tratamento efetivo é necessário, entre outros, a investigação de fatores causais a partir do paciente. Para isso é importante identificar o histórico da queixa atual, avaliar o paciente de forma integral, bem como seus hábitos e comportamentos relevantes e, de fundamental importância, perguntar detalhes de como e onde o paciente trabalha, como é sua rotina e ambiente de trabalho, tanto do atual, quanto dos anteriores.

O que o SUS oferece?

Ao perceber os sinais e sintomas de LER/DORT é necessário procurar a Unidade Básica de Saúde. Em alguns casos o trabalhador pode ser encaminhado para um Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), caso o município possua esse serviço, ou outro serviço de atenção especializada.

A Coordenadora do CEREST Araxá e fisioterapeuta com especialização em saúde do trabalhador, Flávia Aparecida Freire de Almeida, explica as ações realizadas pelo CEREST Araxá em relação à LER / DORT:

“Em relação ao protocolo de LER / DORT, o CEREST Regional Araxá, realiza atendimento a trabalhadores com doenças ou queixas de síndromes no sistema músculo esquelético causadas pelo processo produtivo. O trabalhador referenciado ou por demanda espontânea, passa pelo atendimento do CEREST, com acolhimento assistencial da sua história clínica e ocupacional, atendimento médico, quando necessário solicitação de exames complementares e fechamento de nexo causal. Esse trabalhador quando necessita de atendimento fisioterápico é referenciado pelo setor de regulação do município para realização de Fisioterapia na Rede de Atenção à Saúde. Os trabalhadores com quadro crônico são acompanhados no CEREST pelo grupo de alongamento e orientação postural, onde ao iniciar, recebem orientações sobre como melhorar suas atividades laborais realizando posturas adequadas ao realizar suas atividades no trabalho, orientações sobre pausas, alternância de atividades e orientações ergonômicas conforme sua atividade laboral. Quando é de consentimento do trabalhador vamos até o local de trabalho para dar sugestões de adequações ergonômicas. Os grupos de alongamento são realizados na sede do CEREST, grupos de até 10 trabalhadores com realização de exercícios ativos e alongamento postural.”

Bibliografia

1 INSTRUÇÃO NORMATIVA DC/INSS Nº 98 DE 05/12/2003. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=75579.

2 BRASIL. Diagnóstico, tratamento, reabilitação, prevenção e fisiopatologia das LER/DORT (Série A. Normas e Manuais Técnicos, nº 105). Brasília: Ministério da Saúde, 2001. 64p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diag_tratamento_ler_dort.pdf.

#SaúdeDigitalMG: Saiba como acessar o aplicativo

A chegada da pandemia da Covid-19 cobrou urgência por parte das instituições de saúde para a tomada de decisões rápidas e eficazes frente ao enfrentamento da doença. Com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais de Minas (SES-MG), não foi diferente. Além de implementar as ações assistenciais e epidemiológicas para prevenção e controle do Coronavírus, a Secretaria também tem buscado soluções tecnológicas que auxiliem a população, sem que as pessoas precisem sair de casa, por meio de atendimento digital.

Uma dessas soluções é a criação de uma plataforma de gestão da inovação em Telemedicina, que oferece um direcionamento para o acesso à saúde do Estado, neste momento específico de pandemia da Covid-19. Pelo aplicativo é possível identificar, triar e encaminhar um paciente com suspeita da Covid-19 que procure uma unidade de saúde mais próxima. “Com as orientações de manter o distanciamento e evitar procurar o serviço de saúde quando tiver um quadro gripal leve, a telemedicina faz-se necessária para podermos ampliar o contato com o cidadão e orientá-lo adequadamente ”, explica o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre o governo de Minas e a techtools ventures, empresa que agrega as melhores soluções de healthtech de 38 países, que doou para o estado, por um período de três meses, o direito ao uso da tecnologia de certificação de identidade dos pacientes, triagem inteligente para Covid-19 e plataforma de teleconsultas.

O aplicativo, que tem uma navegação intuitiva, permite que cada cidadão faça o seu registro e também cadastre seus familiares. Por meio de uma ferramenta que utiliza inteligência artificial, a pessoa fará uma triagem, respondendo questões relacionadas ao seu atual estado de saúde para ter uma orientação sobre o seu nível de criticidade – recebendo orientações para fazer o isolamento domiciliar, ser direcionado à teleconsulta, providenciar sua ida com urgência a um hospital ou posto de saúde, ou ainda, descartar a suspeita de contaminação.

Veja o vídeo abaixo e saiba como utilizar o aplicativo:

 

Clique aqui e acesse a matéria completa sobre o Saúde Digital MG no site da SES.

#DiaMundialSemTabaco: Diretoria de Promoção à Saúde disponibiliza formulário para registro de ações

A Diretoria de Promoção à Saúde convida a todos os municípios que realizem o registro das ações desenvolvidas sobre o Dia Mundial Sem Tabaco no espaço de Comunidade de Conhecimentos e Práticas em Promoção à Saúde – SES/MG,  através do link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=38068.

Esse formulário tem o objetivo de compilar as experiências municipais a fim de divulgar por meio das redes sociais oficiais da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e/ou para relatos anuais de boas práticas.  

SES-MG e UFMG realizam webpalestra sobre tabagismo – Participe!

Como parte das ações a serem desenvolvidas referente a Campanha do Dia Mundial Sem Tabaco, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está realizando, em parceria com o CETES Telessaúde da UFMG, uma webpalestra sobre “Tabagismo e COVID-19 + Campanha Dia Mundial Sem Tabaco, que acontecerá no dia 14/05 às 15:30. A webpalestra é voltada para todos os profissionais da saúde e a participação poderá acontecer através do link: https://youtu.be/BjxQFFEUGDM

cetes ufmg

#ParceriaEmMobilizaçãoSocial: CDL/BH inicia na quarta, 18, campanha de prevenção ao Coronavírus

Em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde e a Unimed-BH, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) começa na próxima quarta-feira, dia 18, às 9h, uma campanha de prevenção ao Coronavírus tendo como público-alvo estabelecimentos comerciais, trabalhadores e a população. “Vamos colocar equipes em 32 centros comerciais de Belo Horizonte e Nova Lima para a distribuição de material informativo. Além de esclarecer os lojistas sobre alguns procedimentos internos junto aos seus colaboradores, nosso objetivo é fazer com que todas as pessoas que frequentam o comércio de Belo Horizonte recebam um folheto contendo informações sobre os meios para a prevenção da doença”, explica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

A campanha se estenderá até o dia 21 de março e contará com o envolvimento de cem pessoas que visitarão empresas e distribuirão 500 mil folhetos, além de afixarem cartazes nos estabelecimentos. Segundo Souza e Silva, os setores de comércio e serviços da capital empregam mais de um milhão de trabalhadores. “Portanto, temos um público que pode ser mobilizado para divulgar os meios de prevenção”, disse.

WhatsApp Image 2020-03-13 at 17.45.06

A campanha também será promovida nas redes sociais da entidade por meio de posts no Instagram, Facebook e e-mail marketing. Consumidores que procurarem o Balcão de Consultas do SPC da CDL/BH também receberão folhetos explicativos. As empresas associadas à CDL/BH receberão mensagens nos boletos enviados pela entidade. Haverá, ainda, um serviço telefônico de atendimento aos associados. Todas as pessoas que entrarem em contato com a CDL/BH por meio de telefone serão atendidas com uma mensagem contendo informações sobre a campanha.

Campanha interna da CDL/BH de prevenção ao Coronavírus

Antes de dar início à campanha junto a empresários, trabalhadores e população da capital mineira, a CDL/BH começou a colocar em prática ações preventivas para evitar a propagação do novo Coronavírus junto ao seu público interno. As primeiras medidas envolveram blitz de sensibilização em todos os setores da entidade com distribuição de cartilha, reforço na limpeza dos ambientes internos, disponibilização de álcool em gel em todos os andares e na recepção, cancelamento de eventos e/ou participação neles, suspensão de viagens, priorização da realização de reuniões por teleconferência, afastamento temporário para colaboradores de grupo de risco e início de piloto de home-office para alguns funcionários.

Serviço

Campanha de Prevenção ao Coronavírus

Data e horário: quarta-feira, 18 de março, às 9h

Local: Praça Sete (quarteirão fecha da rua dos Carijós, em frente ao Cine Theatro Brasil)

#Curso: Vírus respiratórios emergentes, incluindo o COVID-19

curso corona

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em parceria com a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) estão lançando hoje o primeiro curso no Brasil para prevenção contra o Coronavírus. Entendemos que neste caso a melhor forma de prevenção é o conhecimento aliado a boa informação.

✅ Link para o curso: https://avasus.ufrn.br/local/avasplugin/cursos/curso.php?id=320

✅ O curso é gratuito e toda a população pode fazer !

#Coronavírus 2019-nCoV: Informações para pesquisadores

A Fiocruz reuniu uma série de link referentes às fontes de informações mais importantes sobre a epidemia, para facilitar a circulação do conhecimento e ajudar toda a comunidade científica a ficar a par das últimas novidadessobre a doença.

Biblioteca sobre o novo coronavírus

A biblioteca tem o objetivo de atender a demanda emergente de informação técnico-cientifica e publicações nacionais e internacionais pertinentes sobre o novo coronavírus para pesquisadores, colaboradores, consultores, gestores e profissionais da área da saúde, assim como, democratizar o acesso e uso da informação e evidência científica com conteúdos específicos (artigos, boletins, relatórios, pesquisas, cartilhas, protocolos, diretrizes, guidelines, entre outros). Desenvolvida no Zotero, um software livre utilizado para gestão e compartilhamento de referências, a biblioteca temática será atualizada regularmente e já oferece um panorama de pesquisas e estudos associados. Para facilitar a pesquisa, a biblioteca disponibiliza um tutorial para a utilização das referências bibliográficas.
Link: https://www.zotero.org/groups/2442236/novo_coronavrus_-_fiocruz/library

Sites de instituições de Saúde:

Ministério da Saúde
https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
http://portal.anvisa.gov.br/coronavirus

Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde (Ivis)
http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/

Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC / Estados Unidos)
https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-nCoV/index.html

Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC)
https://www.ecdc.europa.eu/en/novel-coronavirus-china

Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS)
https://www.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=15696:coronavirus&Itemid=4206&lang=es

Organização Mundial de Saúde (OMS)
https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019

Food & Drug Administration (Estados Unidos)
https://www.fda.gov/emergency-preparedness-and-response/mcm-issues/novel-coronavirus-2019-ncov

Chicago Department of Public Health (Estados Unidos)
https://www.chicagohan.org/2019-ncov

Boletins e relatórios situacionais:

Boletim epidemiológico da  Secretaria de Vigilância em Saúde
https://www.saude.gov.br/boletins-epidemiologicos

Boletins da OMS
https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/situation-reports/

Relatório do Centro Chinês de Controle de Doenças (CCDC / China)
http://weekly.chinacdc.cn/news/TrackingtheEpidemic.htm

Mapas situacionais:

Coronavirus 2019-nCoV geographic spread in the Americas
http://who.maps.arcgis.com/apps/webappviewer/index.html?id=2203b04c3a5f486685a15482a0d97a87&extent=-18853893.9193%2C-508973.7482%2C-2103789.289%2C8511818.5819%2C102100

WHO Novel coronavirus (2019-nCoV) situation
http://who.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/c88e37cfc43b4ed3baf977d77e4a0667

WHO Health Emergency Dashboard
https://extranet.who.int/publicemergency

2019-nCoV Global Cases by Johns Hopkins CSSE
https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6

Health Map – Novel Coronavirus (2019-nCoV)
https://www.healthmap.org/ncov2019/

Orientações técnicas:

WHO Technical Guidance
https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/technical-guidance

Redes de Pesquisa e Plataformas de Compartilhamento:

Global Initiative on Sharing All Influenza Data – GISAID
https://www.gisaid.org/

Nextstrain: rastreamento em tempo real da evolução de patógenos
https://nextstrain.org/

Revistas científicas e outras fontes de informação técnica:

Novo coronavirus (2019-nCoV) – Portal Regional da BVS | OPAS/OMS
https://bvsalud.org/vitrinas/post_vitrines/novo_coronavirus/

Novel Coronavirus Information Center
https://www.elsevier.com/connect/coronavirus-information-center

2019-nCoV Resource Centre – The Lancet
https://www.thelancet.com/coronavirus

The Science Advisory Board
https://www.scienceboard.net/index.aspx?sec=sup&sub=can&pag=dis&ItemID=465

New England Journal of Medicine
https://www.nejm.org/coronavirus

Public Health Media Library – CDC
https://tools.cdc.gov/medialibrary/index.aspx#/microsite/id/403323

Nature
https://www.nature.com/articles/d41586-020-00154-w

BMJ
https://www.bmj.com/coronavirus?utm_source=Nature+Briefing&utm_campaign=42f46b0957-briefing-dy-20200131&utm_medium=email&utm_term=0_c9dfd39373-42f46b0957-43415105

Novel Coronavirus (2019-nCoV) – SpringerNature
https://www.springernature.com/gp/researchers/campaigns/coronavirus?utm_source=Nature+Briefing&utm_campaign=42f46b0957-briefing-dy-20200131&utm_medium=email&utm_term=0_c9dfd39373-42f46b0957-43415105

ScienceBoard.net
https://www.scienceboard.net/index.aspx?sec=sea&sub=res&searchsec=all&searchtype=contains&q=MjAxOS1uY292

AJE oferece serviços gratuitos de edição e tradução para artigos de 2019-nCoV
https://www.aje.com/coronavirus/?utm_source=Nature+Briefing&utm_campaign=42f46b0957-briefing-dy-20200131&utm_medium=email&utm_term=0_c9dfd39373-42f46b0957-43415105

Wiley Online Library
https://novel-coronavirus.onlinelibrary.wiley.com/

Reddit
https://www.reddit.com/r/Open_Science/comments/exefa2/the_coronavirus_papers_unlocked_5352_scientific/?utm_source=amp&utm_medium=&utm_content=post_title

#Canaval: Veja dicas para curtir folia de forma saudável

Por Fernanda Corrêa

Carnaval_Post_1

O carnaval está chegando e junto vem a preocupação com as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s) e a Aids.
A campanha da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) deste ano tem o mote “Camisinha. Em qualquer bloco, ela veste bem. Neste carnaval, previna-se contra IST e Aids. Use preservativo.

A campanha tem como público os foliões que vão participar das festividades e eventos do Carnaval 2020 em Minas Gerais.
Curta a folia sem se esquecer da sua saúde. Use sempre camisinha!

Além de se prevenir contra as IST, veja outras dicas para se cuidar no carnaval:

· Use filtro solar se for participar de blocos nas ruas da cidade;
· Beba bastante água;
· Utilize sapatos e roupas confortáveis;
· Não aceite bebidas alcoólicas de desconhecidos;
· Se for viajar, coloque as vacinas em dia;
· Evite usar carros, aproveite para andar a pé;
· Durma bem antes de sair para a folia.
Respeite o outro e evite brigas, e discussões.

Saiba mais sobre a campanha de carnaval: SES-MG reforça cuidados com a saúde no Carnaval

#DeuNaMídia: Saiba quem tem que se vacinar contra o sarampo


josianne gusmão

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), sob recomendação do Ministério da Saúde, promove, a partir do dia 10 de fevereiro, a Primeira Etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que será realizada entre os dias 10 de fevereiro ao dia 13 de março, tendo como o dia D de Mobilização Nacional o dia 15 de fevereiro. Essa primeira etapa da campanha tem como público-prioritário crianças e jovens entre 5 e 19 anos.

Para falar sobre o assunto, a Coordenadora Estadual do Programa de Imunizações, Josianne Gusmão, participou na segunda-feira (10/02), do programa Bom Dia Minas, da Tv Globo.

Ela alertou sobre a importância das pessoas se vacinarem.”Atualmente, muitas pessoas ainda não tem a quantidade de doses preconizados pelo Ministério da Saúde para que fiquem de fato protegidas contra o sarampo. É importante que as pessoas até 29 anos tenham 2 doses registradas no cartão de vacina. Já as pessoas de 30 a 49 anos tem que ter uma dose”.

Josianne explicou ainda o que fazer caso a pessoa não saiba quantas doses tomou. ” Nesses casos, é preciso ir a uma Unidade Básica de Saúde para que os profissionais possam avaliar o cartão de vacina do individuo e verificar se o cartão está completo ou se falta alguma dose para que fique protegido contra essa e outras doenças.”

Saiba mais sobre o sarampo: http://www.saude.mg.gov.br/sarampo

 

#CiênciaeTecnologia: Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência

Por Comunicação/Funed

As pesquisadoras desempenham papel fundamental nas comunidades de ciência e tecnologia e a sua participação deve ser fortalecida. Para celebrar o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, comemorado no dia 11 de fevereiro, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) realizou na terça-feira (10/02), o evento “Tem mulheres e meninas na ciência, sim!”, em que as cientistas da Fundação conversaram com o público sobre a participação feminina na ciência, desafios da maternidade e a importância da mulher para o desenvolvimento científico.

Na Funed, elas são maioria. Dos 215 pesquisadores, 72% são mulheres que desenvolvem pesquisas em saúde pública, biotecnologia, desenvolvimento de medicamentos, biologia e qualidade de vida no trabalho, além de atuarem em projetos de divulgação científica. Em Minas Gerais, elas também predominam. Dos 1291 pesquisadores de pós-graduação bolsistas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), 61% foram mulheres no ano passado.

Mulheres na Ciência
Por trás desses números, existem trajetórias inspiradoras de pesquisadoras iniciantes a doutoras. Uma dessas histórias é o da doutora em biologia celular da Funed, Luciana Silva. A pesquisadora sempre foi muito curiosa desde nova, tinha vontade de desvendar o universo, os seres vivos e o meio ambiente. “Quando criança, eu tinha o hábito de ficar olhando o céu. Eu era uma menina que tinha curiosidade sobre as estrelas, os animais e como as coisas funcionavam. Meus pais queriam me dar bonecas e eu não estava interessada nelas, eu queria um kit de química, eu queria um microscópio”

Divulgação Funed

Divulgação Funed

Apaixonada por células, quando Luciana chegou na escola queria entender como funcionava essa unidade que forma todos os seres vivos. “Por isso eu acho que nasci cientista sem saber. Eu me perguntava como a célula é capaz de formar tantos seres vivos diferentes e porque ela é também capaz de adoecer as pessoas”, contou. Hoje, Luciana estuda os aspectos moleculares e celulares do câncer humano, em especial o feminino. É sócia fundadora das startups OncoTag e CELLType, que atuam na pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços oncológicos.

A pesquisadora enfrentou muitas dificuldades e desconfiança quanto ao seu trabalho, principalmente pelo fato de ser mulher e negra, “você vai a um Congresso sozinha e ninguém fala com você. Ninguém está ali disponível até você mostrar que sabe o que está falando”. Na época, Luciana não percebia que sofria racismo e preconceito por ser mulher. “Em muitas reuniões só há homens e eles querem impor as suas decisões e eu tinha que aumentar o meu tom de voz. É muito ruim você pensar que para ser respeitada é preciso deixar de ser feminina, ser dura e se afastar de você mesma. Eu tinha que provar que tinha qualidade, que eu era competente e para isso eu trabalhava demais”. Um grande desafio apontado pela pesquisadora para as mulheres é a maternidade, momento que naturalmente é reduzida a produção científica. “Já vi casos de pesquisadoras que tiveram que voltar a trabalhar ainda amamentando”, disse.

Meninas na Ciência
Mais um exemplo de que o despertar para a ciência surge desde cedo é o a da bolsista do programa de iniciação científica Ana Paula Ferreira da Cruz, que teve contato pela primeira vez com a pesquisa científica nos laboratórios da Fundação com apenas 14 anos. Orientada pela doutora em Ciências da Saúde, Carolina Moreira, o seu trabalho “Identificação de agrotóxicos em folhas de maracujá comercializadas no Mercado Central de Belo Horizonte” foi classificado em segundo lugar no Prêmio Carlos Ribeiro Diniz, realizado pela Funed, e, em primeiro, na apresentação de pôster no Simpósio Brasileiro de Farmacognosia.

Divulgação Funed

Divulgação Funed

A jovem cientista sempre foi muito curiosa e gostava de ciência. A experiência na Funed foi importante para que Ana escolhesse o curso Técnico de Química. Porém, nem tudo são flores, em alguns momentos a pesquisa é frustrante segundo a jovem. “Se você gosta da ciência, a pesquisa irá te satisfazer muito, porém às vezes é decepcionante, os resultados não saem como você pensa. Mesmo seguindo todos os procedimentos corretamente, os resultados não saem como esperado”, relatou a cientista sobre sua experiência. “A iniciação científica é uma oportunidade para ter contato com a pesquisa, é importante os jovens que querem seguir essa carreira ficarem atentos às oportunidades, bolsas e editais das instituições”.

Apesar de todas as dificuldades, ambas as cientistas têm uma inspiração em comum para terem seguido a vida acadêmica: suas professoras. “Eu gosto também de salientar que, desde que eu conheci a célula eu tive um bom professor. Um bom docente determina a carreira da gente”, disse Luciana sobre quem foram as suas inspirações para seguir a carreira acadêmica.

Cientistas na Funed
Em todas as Diretorias da Funed há pesquisadoras. No Instituto Octávio Magalhães (IOM) são 35 em oito projetos de pesquisa; na Diretoria Industrial (DI) são oito em dois projetos; na Diretoria de Planejamento, Gestão e Finanças (DPGF), três pesquisadoras e na de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD) são 36 projetos de pesquisa vigentes com pelo menos trezes grupos de pesquisa certificados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e 109 pesquisadoras. Produto das pesquisas desenvolvidas na DPD, a Funed também desenvolveu três startups, a SmartSensors, Onco Tag e CELLtype, as duas últimas lideradas por mulheres.

#Coronavírus: Cuidado com as fakenews

Por Blog da Saúde/Ministério da Saúde

Quando novas doenças surgem, começam também os boatos sobre elas. E com o novo coronavírus não está sendo diferente. Diante deste cenário, temos todos os dias, novas notícias e informações sobre o novo coronavírus, uma doença respiratória grave, que surgiu na China há algumas semanas. E no meio de tantas notícias, temos aquelas que são verdadeiras e as que são falsas, as famosas Fake News que possuem uma força de propagação enorme, por meio das redes sociais e de aplicativos de mensagens.

É aí que mora o perigo! Principalmente se as notícias envolvem a saúde porque elas são muito disseminadas por conta do medo que as pessoas sentem em relação a doenças, ainda mais quando não conhecida.

Somente nesta semana o Ministério da Saúde recebeu mais de 300 mensagens por dia sobre o novo coronavírus no nosso canal de WhatsApp Saúde Sem Fake News. O canal garante informações confiáveis sobre saúde e tem como objetivo esclarecer as dúvidas dos cidadão sobre qualquer notícia relacionada à saúde.

Caso você ainda não conheça o canal, saiba que ele funciona assim: as mensagens enviadas são recebidas, apuradas junto com as áreas técnicas e respondidas ao usuário

Por isso, se tiver dúvida se a mensagem sobre saúde que você recebeu, principalmente sobre o novo coronavíris é verdadeira ou não, envie para o SAÚDE SEM FAKE NEWS, pelo WhatsApp: (61) 99289-4640.
A lista de todas as Fake News já avaliadas pelo ministério encontra-se no site www.saude.gov.br/fakenews

Confira algumas notícias falsas que o Blog da Saúde separou sobre o novo coronavírus.

Esta informação é falsa! A UFRJ não tem condições técnicas para realizar tal pesquisa porque ainda não temos o novo coronavirus isolado no Brasil. Além disso, não há evidências científicas de que o novo coronavírus provoque esses danos cerebrais.

novo-coronavirus-fake-news4

A foto não é de uma cena real da China. Na verdade, ela é um registro fotográfico, feito em 2014 em Frankfurt, na Alemanha, de um projeto artístico para lembrar as 528 vítimas do campo de concentração nazista “Katzbach”.

novo-coronavirus-fake-news3

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS @who) não existe nenhuma comprovação científica de que “sopa de morcego” tenha sido a responsável pela disseminação do novo #Coronavírus na China. Além disso, segundo o boatos.org, as fotos e vídeos que estão sendo compartilhados com essa mensagem são de uma influenciadora digital, que fez o registro em 2016, ou seja, há 4 anos, antes de qualquer manifestação do novo coronavírus na China.

novo-coronavirus-fake-news2

Nenhum tipo de chá pode ser utilizado para substituir um tratamento adequado contra a gripe, muito menos contra o novo #Coronavírus. Também é falsa a afirmação de que o chá de erva doce tem a mesma substância do medicamento Tamiflu (fosfato de oseltamivir)! Não confie nem compartilhe mensagens desse tipo. Se #FakeNews já são perigosas por si só, quando são sobre SAÚDE, podem ter consequências graves.

novo-coronavirus-fake-news1